7 °C
Cultura & Lazer

Ator brasileiro encena Tchekhov em Londres

|

Foto 2

(LONDRES) Denis Kuck - Ele até que tentou viver no Brasil após passar mais de 10 anos morando em Londres. Mas não se adaptou novamente ao estilo de vida de São Paulo, cidade onde nasceu, e retornou à capital britânica. Ao voltar, o ator Marcio Mello decidiu que correria atrás de seus sonhos e projetos e montou sua própria produtora de teatro, que apresenta de terça-feira (24) até sábado (28), no White Bear Theatre Club, duas comédias curtas do russo Anton Tchekhov, “The Bear” e “The Proposal”.
Mello chegou em Londres aos 24 anos em 1997. Veio, como muitos, para estudar inglês por apenas seis meses. Acabou complementando sua formação como ator por aqui e ficou até 2009, quando decidiu retornar ao Brasil. “Estava decidido a permanecer de vez, mas não gostei da vida em São Paulo, cidade que privilegia carros e não parques. Valores errados sendo transmitidos. Além disso, teria que recomeçar minha carreira do zero. Foi uma ilusão”.
Apesar disso, o ator faz questão de não negar as origens e diz que sempre será brasileiro, tem orgulho do país. “Londres é uma cidade que me oferece mais, que gosto e tenho amigos, porém mesmo após tanto tempo aqui serei sempre um estrangeiro, o brasileiro que fala com sotaque”, pondera Mello, que é formado ela Escola Macunaíma Teatro Escola.
A barreira da língua, para ele, foi especialmente difícil de transpor, pois ele atua, falando em inglês no concorrido e tradicional teatro britânico. Mello conta que é muito difícil interpretar em outro idioma. “Às vezes me perguntava o que estava fazendo aqui. Atuar em inglês é como andar na corda bamba, é preciso coragem”, diz o ator, que também fez participações em séries para TV e comerciais


As dificuldades não o impediram de se tornar o primeiro brasileiro a estudar na renomada Royal Central School of Speech and Drama, por onde passaram nomes como Lawrence Olivier, Judi Dench e Gael Garcia Bernal, que inclusive foi seu colega de curso.


Primeiro brasileiro em renomada escola de teatro de Londres
“Fiz festa quando soube que passei. Vaga disputadíssima, uma para cinco mil pessoas. Mas o curso foi difícil. Eu, o único estrangeiro e um bando de ingleses, como sempre pegando no pé por causa do sotaque”, relembra.
No final das contas, o “accent” de Mello acabou se tornando algo a seu favor e hoje ele está mais relaxado ao falar inglês. “Na apresentação final da escola fui um dos poucos a ser contratado por um agente, que disse estar precisando de alguém com sotaque”, diz.
Ao voltar a morar em Londres, Mello percebeu que precisava de liberdade e por isso teria que andar com seus próprios pés. “Jamais poderia fazer o papel de um Hamlet na Inglaterra, por exemplo”, afirma o ator, que dá aulas de teatro na Regent’s University.
Em 2013, ele decidiu criar sua própria produtora de teatro, a Latíssimus, e montar peças escolhidas por ele. Apaixonado pelo texto de Tchekhov, decidiu encenar comédias curtas do escritor, faceta menos conhecida do autor russo.
“The Bear” conta a história de uma viúva e um credor, envolvidos numa guerra dos sexos, que expõe contradições de uma sociedade repressiva e a proximidade entre amor e ódio. A segunda esquete, “The Proposal”, é uma sátira ao casamento que faz crítica ao materialismo do ser humano.
Mas o trabalho do ator não para por aí. Márcio Mello está produzindo a série de humor “The Brasileiríssimos”, na qual faz o papel de um paulista que se mudou para Londres. Além disso, quer trazer peças de autores brasileiros ao Reino Unido e levar obras daqui para o Brasil. No momento, Mello está buscando recursos para encenar na capital britânica “A Terra Prometida” do dramaturgo Samir Yazbek. “Eu quero tudo. Com dinheiro ou sem dinheiro”, afirma.
O endereço do White Bear Theatre Club é 138 Kennington Park Rd, SE11 4DJ. Ingresso entre £ 10 e £ 12. Horário 20h30. Página eletrônica: http://whitebeartheatre.co.uk


The Brasileiríssimos


A série, escrita por Marcio Mello, terá dois episódios de 30 minutos. Um piloto já foi gravado e no Youtube e Facebook é possível ver algumas cenas curtas, no estilo “Porta dos Fundos”. A história conta o dia a dia e as dificuldades de três brasileiros que vivem em Londres: um paulista, interpretado por Mello, cosmopolita, superadaptado e que tem um bom emprego na British Telecom; uma baiana “arretada” (Tereza Araújo), que se “vira nos 30” e faz todo tipo de serviço para sobreviver; e um carioca garotão (Diogo Sales), que acaba de chegar. A direção é do diretor brasileiro Jorg Wagner, com quem Mello fez o filme “Lost Tango”.
Os três dividem uma casa no bairro de Seven Sisters, subúrbio de classe média baixa de Londres. Por meio do convívio entre os personagens e suas relações com a cidade, os espectadores serão apresentados à riqueza do cotidiano dos imigrantes. Tudo mostrado de forma bem humorada, inusitada e que enfatiza as diferenças culturais entre o improviso brasileiro e a rigidez britânica.


Foto 1
O paulista Marcio Mello foi o primeiro brasileiro a se formar na Royal Central School of Speech and Drama


Foto 2
O ator está finalizando a produção da série The Brasileiríssimos, que narra com bum humor a vida de três brasileiros vivendo em Londres