22 °C
Notícias

Sete dicas de acomodação para uma inesquecível experiência de compartilhar casa em Londres

|

Three girl friends relaxing with coffee by boxes in new home smi

(LONDRES) Por Roberta Weber


Depois de vive rem Londres é bem possível que você possa morar em qualquer outro lugar do planeta. Afinal, coisas incríveis acontecem na capital da Inglaterra. Basta um bate-papo em um Pub para ouvirmo cada vez mais críticas em relação à dificuldade de compartilhar casa e alugar quarto ou vaga em Londres. Mas calma, não se desespere, tem muita coisa boa também, e precisamos aprender a ver isto.
Então siga estas dicas básicas de acomodação, para que você se convença de que pode ser vantajoso alugar ou dividir um imóvel. Entenda como funciona o esquema e se permita viver essa importante (e/ou necessária) experiência.


1
Entendendo as diferenças de mercado – Você tem passagem marcada e está tudo certo para a mudança cujo destino é Londres, mas tem algo que não viu ainda, acomodação. No mercado imobiliário atual, com os altos preços dos aluguéis, e aonde cada vez mais existem jovens e adultos de todas as partes do mundo chegando, para seguirem seus objetivos de vida na capital britânica, é preciso entender o lado comercial, o competitivo, a oferta e a demanda. Isso fez com que muitas empresas destinadas ao mercado de acomodação fossem criadas e consequentemente existe muita gente que faz um trabalho de qualidade em contrapartida a outras que não. Particularmente sugiro que se informe antes de saber para quem vai dar o dinheiro e a empresa a qual alugará um quarto.


2
Adaptação das empresas ao momento atual – Trabalhando há algum tempo neste setor, percebo que o perfil das empresas de acomodação vem mudando, afinal, é necessário adaptar-se ao mercado. É difícil agradar a todos, mas os estabelecimentos existentes se deram conta de que alugar um quarto para quatro pessoas já não era vantajoso, mais lucro porém aumento de incomodação. Casas com muita gente já são mais difíceis de alugar e, outro ponto bastante importante, é a quantidade de banheiros para X pessoas. Avançando um pouco mais, entretanto, que não tem influenciado no poder de decisão, se tem ou não sala na casa. Sabemos que muitas delas não possuem.


3
Conheça o passo a passo para alugar – Leia bastante; busque acomodação em sites das empresas, classificados, redes sociais e páginas como Spare Room, Gumtree ou Easy Roomate; contate o estabelecimento que
oferece o quarto-vaga para agendar a view (ou não, caso esteja longe); view no local, algumas vezes é cobrada, mas a maioria é gratuita; entenda o contrato e os procedimentos de check in; assine o contrato; importante saber se a empresa tem endereço fixo; agende check in; check in na propriedade e inventário.


4
Tente não carregar sua carga emocional no momento da decisão e estadia – Trabalhando na empresa de acomodações Cortisso Accommodation há mais de dois anos, tenho visto milhares de pessoas chegando para ter uma vida por aqui. Estrangeiros, buscando quartos e vagas em casas compartilhadas. Cada um carregando uma emoção diferente, dependendo da cultura e do país de origem. Italianos mais apegados à família, espanhóis tentando fugir da crise e brasileiros são apenas alguns deles. A reflexão sobre o passado, a distância da família, a luta por “seu espaço” na cidade, a dificuldade do idioma, a busca de trabalho, o pouco espaço e tantas outras coisas são apenas algumas das influências.


5
Não compare a nova casa com as anteriores – não estou querendo dizer que não deve ser crítico e manter o bom gosto de acordo com o que espera e se propuser a ter. Mas já vi brasileiros, chegando à casa e chorando após a viagem e no dia seguinte telefonarem dizendo que amaram a casa. Dê um tempo para si mesmo criar opinião e saiba que esta é uma nova experiência.


6
Respeite seus “flatmates” e “roomates” – Essa é uma questão muito importante, já que as pessoas da casa é que fazem a casa. Isso eu escuto de todos. Somos diferentes uns dos outros, tente manter a harmonia, respeitar o espaço dos colegas de casa e quarto e, acima de tudo, pensar no próximo. Conviver com diferentes nacionalidades sobre o mesmo teto pode ensinar-lhe mais do que imagina.


7
Aprenda com essa experiência – Pessoas que estão chegando precisam entender que estarão amadurecendo com essa nova experiência. Já vi colegas de casa que viraram marido e mulher para toda a vida, companheiros de quarto que se tornaram melhores amigos, parceiros de casa que rodaram a Inglaterra viajando de carro, pessoas que dividem a mesma casa, ajudando as que chegam a encontrar ocupação, e nós que trabalhamos em empresas de aluguéis de casa/quarto em Londres, deveríamos estar bem conscientes, porque somos responsáveis por isso.


No fim, e é bem verdade, a grande maioria que se encontra nas casas, ajuda a superar a carga de emoções iniciais e a viver coisas bonitas de um momento que se lembrará para sempre: “o período da sua vida em Londres”. Mais do que isso, “a casa ao lado da estação de Hammersmith”, “O apartamento na beira do Tâmisa”, “as noites de conversa na cozinha”, “os churrascos no quintal”, enfim, poderia passar dias enumerando situações que eu mesma já tomei conhecimento. Porém o mais bonito nisso tudo é ver a evolução dessas pessoas, o crescimento e o amadurecimento do ANTES e DEPOIS de viver numa casa compartilhada. Você se permitiu fazer a mudança de vir a Londres não é mesmo? Seja qual foi o motivo, permita-se VIVER ESSA EXPERIÊNCIA.


Uma breve história entre tantas outras vivenciadas diariamente trabalhando neste mercado: No ano passado vendi uma vaga num quarto dentro de um apartamento que possuímos perto da zona de Fulham para o Felipe, e ele passou a dividir com outro brasileiro, chamado Guilherme. Mattia e Andrea, dois italianos, passaram pela casa, mas já foram embora. No início deste ano, vendemos vagas novamente para três portugueses (Ana, Pedro e Miguel). Em 2 de março deste ano chegou Jéssica e Fernanda, ambas brasileiras, que vieram estudar por seis meses em Londres. Resultado? Alguns foram e outros permaneceram, mas um grupo especial foi formado. Jéssica namora Felipe. Entre muitos passeios de final de semana, viagens, celebrações e diversão, eles se tornaram amigos inseparáveis na cidade e independentemente do rumo que a vida deles tomarem – tempo e distância – ficará para sempre na memória.


* Roberta Weber é colunista do Brazilian News e trabalha também na Cortisso Accommodation Services, empresa de acomodações existente há mais de sete anos no mercado londrino. O público é formado basicamente por profissionais e alguns estudantes de diferentes nacionalidades, mas em sua maioria espanhóis, italianos, franceses,australianos, portugueses e brasileiros. Ao longo deste tempo já observou muitas coisas, aproximadamente 8 mil pessoas já passaram pelas casas da empresa ao longo dos anos.