16 °C
Notícias

Tocando "Manuel" e de relógio branco, Ed Motta encerra polêmica sobre brasileiros no exterior

|

ed motta

SÃO PAULO - O cantor Ed Motta subiu ao palco da casa de shows Terra da Garoa, na noite desta última sexta-feira (17), em São Paulo, disposto a encerrar, na esportiva, a polêmica em que se envolveu após criticar o comportamento de fãs brasileiros no exterior. Já na primeira faixa do repertório, tocou o hit "Manuel", que prometera não incluir nos shows mais jazzísticos que fará na Europa em breve.


"Vou tocar a guitarra com esse pedal . Sem o pedal, o som é assim. Com o pedal, é assim", indicou, antes de soltar o primeiro acorde da famosa faixa de seu primeiro disco, "Conexão Japeri", lançado em 1988, que, segundo afirmou em um desabafo no Facebook, costuma ser a favorita da "turma mais simplória", que não acompanha sua carreira.


E se a polêmica era golpe de marketing para atrair público, conforme muita gente especulou nas redes sociais, não funcionou. A casa de shows estava bem longe de estar lotada. Na plateia, era possível se ver vários espaços vazios. A área superior, dos camarotes, estava praticamente vazia.


No pulso, Motta usava um relógio branco chamativo, que ganhou de presente da turma do programa humorístico "Pânico", minutos antes do show. O acessório é uma brincadeira com a descrição que fez em seu post de fãs "que vêm beber cerveja barata com camiseta apertada tipo jogador de futebol, com aquele relógio branco, e começa a gritar nome de time".


"Nesse clima de relógio branco, já vou cantar 'Manuel'. Peguem celulares e podem filmar", avisou o cantor no início do show em São Paulo. O público, que não chegou a lotar a casa de shows, foi ao delírio, com palmas e aplausos.