2 °C
Gastronomia

Encontre o equilíbro entre esporte e nutrição

|

776158_83344282

Priscila Schramm Gonsalez


 


O inverno está quase no fim e logo, logo as academias de Londres estarão lotadas de pessoas correndo contra o tempo para entrar em forma para o verão. Se você ainda não sabe, eu vou dizer agora: - O treino é responsável por 30 a 50% do resultado, o restante é dependente de dieta e descanso adequados. O que eu quero dizer é que de nada adianta correr para a academia, ficar horas se exercitando se não houver alteração de hábitos alimentares.


Seja qual for o seu objetivo, hipertrofia (que é o aumento do volume muscular) ou mais definição, a nutrição será responsável por 50-70% do resultado.


Quando se pensa em nutrição esportiva geralmente se pensa em suplementos alimentares e aumento no consumo proteico diário. Na realidade para chegar ao seu objetivo, seja ele qual for, é necessário fornecer os nutrientes corretos, não somente proteínas, e mais do que isso, deve-se consumir os nutrientes necessários, nos horários certos.


Muitas vezes, não necessariamente deve-se aumentar a ingestão de alimentos fontes de proteínas, o consumo proteico diário já está sendo suficiente, porém por estar mal distribuído ao longo do dia, impossibilita o aumento do volume muscular.


Dependendo do caso, o uso de suplementos alimentares é altamente recomendável e se torna um artifício extremamente útil para auxiliar a alcançar os objetivos, desde que incluído em uma dieta equilibrada.


Ainda, a ingestão ou suplementação de carboidratos nos horários adequados é tão importante quanto a ingestão de proteínas, pois na musculação por exemplo, e ele quem ajudará no aumento do volume muscular. A disponibilidade de carboidratos é importante em exercícios de musculação, corridas, lutas, natação e futebol.


Partindo-se do princípio que cada indivíduo é único (genética e metabolicamente falando), tem hábitos de vida e de alimentação diferentes, também vai responder, também, de forma diferenciada aos treinamentos submetidos. Os resultados serão também diferentes tanto no que diz respeito ao desempenho atlético, assim como à performance estética ou equilíbrio metabólico.


O que deve-se incluir na alimentação de praticantes de atividades físicas então?


- O consumo de alimentos alcalinos para contrabalancear a acidose metabólica induzida em cada sessão de treinamento: batata doce, inhame, lentilha abacaxi, tangerina, berries, brócolis, entre outros.


- Suco de tomate e romã modula a acidose metabólica quando utilizado após o exercício;


- Frutas, vegetais e especiarias são ricos em polifenóis anti-inflamatórios e ajudam a prevenir o dano muscular induzido pelo exercício;


- Analisar e suplementar, caso seja necessário, a vitamina D pois ela dá suporte ao sistema imunológico e também modula o dano muscular induzido pelo exercício;


- Avaliar a necessidade de vitaminas do complexo B e Coenzima Q10 que são altamente utilizadas durante os processos de produção de energia.


Lembre-se que essas são dicas, e que nada substitui uma dieta que leve em conta a sua genética e necessidades individuais, sendo assim, é muito importante que ao iniciar qualquer programa de exercícios você procure um nutricionista para adequar seu plano alimentar, suplementar de forma individualizada e de acordo com suas necessidades nutricionais e encontrar estratégias práticas e viáveis para o seu dia a dia.


 


*Priscila é nutricionista funcional e mestre em nutrição pela Universidade Federal de Santa Catarina