14 °C
Home

Metrô noturno causa cortes, dizem sindicatos londrinos

|

Mat01_Page06

Londres vai juntar-se ao grupo de “cidades que nunca dormem” em 12 de setembro: como prometido pelo presidente da câmara Boris Johnson, o metrô, ou tube, como é conhecido pelos londrinos, vai funcionar 24 horas por dia aos finais de semana. Além de funcionar durante as noites de sexta e sábado, o metro da capital britânica vai também ter melhores acessos e mais cobertura de Wi-Fi: “É uma boa ideia. Já não saio até tão tarde como quando era mais novo, mas é uma boa ideia, porque assim as pessoas não têm de ficar na rua à noite”, diz um cidadão.


 


Se a maioria dos utilizadores parece concordar com a medida, já os sindicatos têm sérias reticências. Para eles, o fecho dos guichés de venda de bilhetes, que começou esta segunda-feira, não é uma coincidência: “Vão ter um prejuízo de 20 milhões de libras no primeiro ano e têm de compensar isso de alguma forma. O nosso medo é que financiem isso com cortes em outros serviços e no pessoal do Transport for London (TfL), conta Luke Chester, do sindicato Transport Salaried Staffs' Association (TSSA).


 


Se imagina que o fechamento de guichês vá custar o emprego de centenas de trabalhadores do TfL, que está a automatizar por completo a venda de bilhetes. A medida esteve já na base de várias greves. (Informações do Euronews)