12 °C
Notícias

“Antes de morrer eu quero...”

|

Untitled

Depois de perder um amigo de supetão por um problema renal, a americana Candy Chang começou a pensar em como poderia aproveitar mais os seus dias. Contemplar a morte trouxe outras perspectivas sobre a vida e claro, ela não está sozinha. Quantos de nós fazemos listas de desejos e sonhamos com coisas que nunca tentamos realizar?


 


Muitas vezes só nos damos conta disso quando vemos a morte prematura de alguém que ainda tinha muito o que fazer em vida. Depois de refletir sobre isso, Chang convidou outras pessoas a dividir seus pensamentos e desejos em uma casa abandonada em New Orleans, nos EUA, numa parede escrita “Antes de eu morrer eu quero________”, com várias linhas em branco, para que quem passasse por ali pudesse preencher com o que quisesse fazer ‘antes de partir para uma melhor’.


 


A ideia se transformou num projeto chamado Before I Die Wall espalhado por mais de 25 países. Eu passei por essa parede em Londres e fiquei feliz de saber que venho realizando ano a ano as vontades da minha listinha e tenho sido bem feliz por isso. E você, o que você quer fazer antes de morrer?


 


Todo dia é dia de começar uma coisa nova ou aprender  uma coisa nova. Como diz meu grande amigo Lufe Gomes - fotógrafo talentosíssimo e com um projeto que vale a pena conhecer -http://www.lifebylufe.com/site/), que super me inspira, “quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?”. Que tal aproveitar o dia de hoje para começar a riscar coisas da sua lista e viver mais feliz?


 


* A parede fica localizada na Borough High Street, à esquerda de quem sai da estação de London Bridge. Caminhe uns 5 minutinhos até lá, fica quase ao lado do Restaurante Bellushi’s. Há uma também em Camden Town e outras espalhadas pelo mundo.


 


Ana Beatriz Freccia


@anafreccia


www.omundoqueeuvi.com


 


*Ana Beatriz Freccia Rosa começou a sua volta ao mundo em 2004 quando veio morar em Londres. De lá, fez algumas viagens pela Europa e dois “mochilões” pelo Oriente Médio e parte da Ásia. Voltou para o Brasil, percorreu parte da América Latina e não conseguiu sossegar. Em 2010 partiu para mais uma aventura com passagem só de ida para o Sudeste Asiático e um período sabático na Austrália, onde viveu por dois anos e meio. Em abril de 2013 largou a casa de frente para o mar e voltou para a Terra da Rainha, onde tudo começou. Hoje trabalha para um site que conecta pessoas que querem mudar de país e escreve suas histórias no blog “O mundo que eu vi”