9 °C
Home

Dan Torres: Fazendo sucesso, no caminho contrário

|

Capa1_Page01

Muito se fala sobre os brasileiros que vêm para Londres em busca de sucesso profissional. O caminho inverso também acontece. Prova disso é o cantor Dan Torres, que deixou a terra da rainha em 2003, aos 24 anos, para fazer sucesso no Brasil. Ele interpreta o tema da novela das 21h da Rede Globo de Televisão, 'Império', com a versão de Lucy In The Sky With Diamonds. (Foto: Divulgação)


 


Filho de pai brasileiro e mãe inglesa o cantor começou sua carreira ainda na Inglaterra, com a banda '2AD'. No entanto, foi após se mudar para o Rio de Janeiro que sua vida realmente mudou de rumo. Incentivado por familiares, participou da terceira edição do programa Fama, em 2004. O programa era uma academia musical, cuja apresentação era feita por Angélica. A participação do anglo-brasileiro foi destacada, e ele permaneceu por dez semanas, fazendo sucesso com a música 'Esse Amor', de sua autoria e cantada por ele e Cídia Luize.


 


Logo após o programa, Dan formou a dupla com Cídia. Após quatro anos, ele lançou o seu primeiro CD solo, com 11 canções inéditas e autorais. O CD ainda conta com as participações especiais de Cídia Luize e de Mú Carvalho do grupo “A Cor do Som”.


 


Brazilian News - Qual a sensação de ver seu trabalho na novela de maior audiência de um país continental?


Dan Torres - Me sinto muito feliz e orgulhoso, claro. Desde que cheguei no Brasil percebi a importância das novelas na vida cotidiana e sei que sou um cara muito sortudo por ter recebido tantas oportunidades de fazer parte das trilhas sonoras.


BN - Como está o assédio dos fãs e da mídia depois que a novela Império começou?


DT - Me avisaram antes da novela começar que a música de abertura chamava mais atenção que as outras, e de fato isso tem sido verdade. Percebo um interesse bem grande muita gente em saber quem está cantando a música e fico muito feliz de ver que a grande maioria das pessoas está curtindo a canção.


BN - Onde você vivia em Londres?


DT - Eu nasci e fui criado em Hammersmith & Fulham.


BN - Qual era sua ligação com a música até os 24 anos?


DT - Desde pequeno eu gostava de cantar e compor, e até vendi a minha primeira canção em fitsa cassete na escola primária. Aos 18 anos, depois de eu terminar a secundary school eu comecei a me dedicar mais a isso e acabei sendo escolhido para fazer parte de uma Boyband chamada 2AD. Fizemos shows pelo país e serviu como uma boa base para mim.


BN - Como era a relação com o Brasil antes de se mudar para o país?


DT - Eu costumo dizer que apesar de ter nascido e sido criado em Londres, eu vivia num ambiente brasileiro em casa. Meu pai, tio e todos que trabalhavam ou visitavam o nosso restaurante brasileiro fez com que minha ligação com o Brasil sempre fosse muito forte.


BN - Qual o motivo que o levou ao Brasil?


DT - Uma vontade de conhecer mais de perto o país, não só de férias, mas também uma busca por uma nova aventura de vida.


BN - Como foi a adaptação ao chegar no país?


DT - A parte logística de aprender onde ficava tudo e como chegar de um lugar ao outro demorou um pouco, mas em relação às pessoas e jeito de viver acho que foi muito fácil e rápido pra mim.


BN - Como surgiu a oportunidade de participar do programa Fama?


DT - Tinha chegado no Brasil um ano antes e todos meus amigos e parentes sabiam nessa altura que eu cantava. Eles me convenceram de me inscrever e graças a Deus eu segui o conselho rs


BN - Em quem você se inspira para fazer as composições?


DT - Cada canção tem uma inspiração. Amor, vida, etc. Sempre são os temas mais comuns e hoje posso dizer que minha esposa e filho são as coisas que mais me inspiram a compor.


BN - Qual o maior desafio para iniciar um projeto no Brasil em comparação à Inglaterra?


DT - Acho que nos dois países projetos musicais são desafios, mas a minha caminhada profissional iniciou de fato no Brasil. Tentei muitas coisas na Inglaterra, mas aconteceu de fato após o programa Fama, então fica um pouco difícil de comparar.


BN -  Qual a sensação de ter o trabalho reconhecido e ser premiado fora de seu país de origem?


DT - Acho que em qualquer país o reconhecimento é sempre uma coisa agradável. Estou muito feliz com tudo que está acontecendo e espero que eu possa continuar construindo uma carreira musical por muito mais tempo.


BN - Qual música não pode faltar em sua playlist?


DT - Tem muitas, e sempre depende do momento, mas os clássicos são Paul McCartney, Stevie Wonder, Michael Jackson, James Taylor. E nos últimos anos tenho escutado muito Índia Arie, John Mayer, Marc Broussard entre muitos outros.


- Uma pessoa especial: Minha esposa e meu filho


- Onde comer bem em Londres/Brasil: De 1975 a 2003 era o restaurante brasileiro da minha família, “Paulos”! rs. Como estou fora já há 11 anos não sei agora. Já no Brasil tem muitos lugares para se comer bem, mas se eu tivesse que escolher um seria o Porcão, no Rio de Janeiro. Um dos melhores rodízios de carne e com uma vista maravilhosa.


- Um lugar para se perder em Londres/Brasil: Hampton Court Palace Maze. Já no Brasil eu me perderia facilmente na praia de Lopes Mendes, em Ilha Grande, um dos lugares mais bonitos que já vi na vida.


- Um sonho: Construir uma família bonita


- Uma qualidade: Antes de tomar uma decisão, sempre perguntar a opinião da minha esposa


- Um defeito: Antes de tomar uma decisão, sempre perguntar a opinião da minha esposa


- Uma viagem inesquecível: Mochilão de trem pela Europa


- Você não suporta: Falta de educação


- Um desafio superado: Cantar em português ao vivo na TV Globo


 


Márcio Ceccarelli


editor@braziliannews.uk.com