7 °C
Notícias

Brasil é campeão pela décima vez do Grand Prix de vôlei feminino

|

Mat01_Page27

A seleção brasileira feminina de vôlei é campeã do Grand Prix pela décima vez. No domingo (24.08), o Brasil venceu o Japão por 3 sets a 0 (25/15, 25/18 e 27/25), em 1h28 de jogo, no Ariake Collesium, em Tóquio, no Japão. Nem mesmo uma barulhenta torcida nipônica foi capaz de parar o time verde e amarelo. As atuais campeãs olímpicas disputaram 14 partidas e perderam apenas uma para alcançarem o inédito décimo triunfo. As japonesas ficaram em segundo lugar e a Rússia na terceira posição. Com o resultado, o time verde e amarelo dobrou o número de conquistas em relação a segunda seleção com mais títulos. Enquanto as brasileiras venceram pela décima vez (1994, 1996, 1998, 2004, 2005, 2006, 2008, 2009, 2013 e 2014), os Estados Unidos, segunda equipe com mais conquistas, têm cinco. (Foto: Divulgação FIVB)


 


No jogo decisivo contra as japonesas brilhou a estrela da bicampeã olímpica Sheilla. A oposto foi a maior pontuadora do confronto, com 16 acertos (12 de ataque, três de bloqueio e um de saque), e deixou a quadra com o prêmio de melhor jogadora da partida. A central Fabiana também pontuou bem, com 10.


 


A oposto Sheilla parabenizou o grupo e elogiou o poder de reação do time verde e amarelo na fase decisiva. "Os dois primeiros sets foram mais tranquilos. Depois, elas dificultaram o nosso jogo na terceira parcial, mas conseguimos sair com a vitória. Isso foi bom porque ganhar um título assim é ainda mais gostoso. Sabíamos que essa partida seria difícil. Nosso grupo está de parabéns, principalmente pela volta por cima na fase final. Não começamos bem a etapa decisiva, conseguimos nos recuperar, e acabamos com o título", disse Sheilla, que conquistou seu sexto título do Grand Prix.


 


A central e capitã Fabiana fez uma análise do confronto contra o Japão e da campanha do Brasil. "Se analisarmos o Grand Prix inteiro fica claro que o nosso time jogou bem. Perdemos apenas uma partida em 14 jogos. Tirando o jogo com a Turquia, fomos uma equipe constante e disciplinada taticamente. Hoje, jogamos muito bem. O Japão vinha tendo boas atuações e tinha ganho de todas as equipes na etapa decisiva. Jogamos taticamente e concentradas toda a partida. O grupo mereceu a vitória e mais esse título", analisou Fabiana.


 


O treinador José Roberto Guimarães comentou sobre as dificuldades de uma competição longa como o Grand Prix. "Essa competição foi um grande teste para todos nós. Aprendi muito, principalmente com a Fabiana e a Sheilla, que me ajudaram em diversos momentos durante essas cinco semanas. O Grand Prix é muito desgastante. São muitas viagens, jogos e pressão todo o tempo. Tenho que agradecer ao grupo, mas principalmente as mais experientes que foram de uma extrema dedicação e bom senso durante todo esse campeonato", afirmou José Roberto Guimarães, que recebeu uma homenagem da Federação Internacional de Voleibol pelos anos de bons serviços prestados ao voleibol.


 


O retorno de uma guerreira


Ao voltar ao Grand Prix depois de um ano de ausência, quando realizou um de seus maiores sonhos e se tornou mãe do Arthur, Jaqueline surpreendeu a muitos com atuações seguras durante toda a competição. Um dos destaques brasileiros na conquista do décimo título, a bicampeã olímpica garante estar realizada. "Estou muito feliz. Foi bom ter disputado e vencido o Grand Prix com a seleção. Procurei ajudar o grupo da melhor maneira possível. Tivemos uma boa preparação para o Mundial e dedico esse título ao meu filho. A sensação de voltar à seleção e ainda ser campeã é a melhor possível. Estou realizada", garantiu Jaqueline.


 


Vicente Condorelli