7 °C
Notícias

Candidato à presidência, Eduardo Campos morre em acidente aéreo

|

campos

O candidato a presidente do PSB, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morreu nesta quarta-feira (13) após a seu jato particular cair em um bairro residencial em Santos, no litoral paulista.  De acordo com o Comando da Aeronáutica, o Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao Aeroporto de Guarujá (SP). O avião estava com o certificado de aeronavegabilidade e a inspeção anual de manutenção em dia. Quando se preparava para pouso, a aeronave arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com o avião. Marina Silva, vice na chapa de Eduardo Campos, não estava no avião. (Foto: PSB)


 


O economista pernambucano Eduardo Henrique Accioly Campos, 49 anos, concorria pela primeira vez à Presidência da República. Ele foi governador de Pernambuco por dois mandatos. Também foi ministro da Ciência e Tecnologia, deputado estadual e três vezes deputado federal. Casado, Campos deixa cinco filhos. Campos tinha uma programação de campanha em Santos. De acordo com a assessoria do candidato, ele participaria às 8h, às 9h30 e às 14h30 de entrevistas a emissoras de televisão locais. Às 10h30, concederia uma entrevista coletiva às 12h30 participaria de um seminário sobre o Porto de Santos.


 


Os principais adversários de Campos na campanha eleitoral, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), cancelaram os compromissos de campanha. Todos oscomitês de Dilma suspenderam as atividades após a confirmação da morte. "Estou absolutamente perplexo", afirmou Aécio Neves no Rio Grande do Norte. Nove anos antes, em 2005, no mesmo dia (13 de agosto), morreu o avô do presidenciável, Miguel Arrais, de quem Campos era herdeiro político. (Com agências nacionais)