8 °C
Turismo

Ravello, a cidade da música na Costa Amalfitana

|

800px-Center_of_Ravello_Italy

Com cerca de 2.500 habitantes, Ravello é uma cidade situada na Costa Amalfitana. É um dos destinos turísticos mais populares e exclusivos da Itália. Os jardins da cidade são pequenos paraísos com vistas deslumbrantes da costa. Na Villa Rufolo é organizado o Festival de Música, desde 1953, em homenagem a Wagner, que se inspirou nos jardins para um dos cenários de sua ópera Parsifal. Também espetacular é a Villa Cimbrone, que foi criada em 1905 pelo lorde inglês Grimthorpe. Até Greta Garbo já veio em busca de paz nos jardins, cujo ponto alto é o Belvedere dell’Infinito, com seus bustos de pedra e vista espetacular.


 


Nos tempos antigos a cidade era um refúgio para os moradores que fugiam dos inimigos e ataques de piratas. Já antes do ano 1000, os habitantes eram tecedores famosos de lã, com importante comércio com a Turquia. No século IX, a cidade era o carro-chefe da República Marítima de Amalfi, do século XII e chega ao ápice da sua fortuna, com uma população de mais de 25 mil habitantes. Mas ao mesmo tempo começa o declínio: é saqueada e destruída pelos pisanos. Demorou vários séculos para que se recuperasse dos desastres, mas até o final de 1800, estava outra vez no auge. Ravello é sinônimo de Costa Amalfitana, mas especialmente de lugar refinado e glamouroso.


 


O ambiente natural é de uma beleza única e primordial, mas é nas ruas estreitas, nas praças, entre as mesinhas dos bares que oferece o melhor. Entre a piazza Duomo e a ruazinha Richard Wagner ou via Castiglione, via dell'Annunziata ou via Trindade, estão os clubes e bares, restaurantes e pizzarias, lojas de antiguidades, boutiques e mercearias. Essas mesmas ruas, nas noites de Verão, são transformadas em palcos para grupos de jazz, folclore, rock e música clássica.


 


Mas Ravello não só é aberta durante o verão. Atesta o escritor americano Gore Vidal que quando perguntado sobre o lugar mais bonito que já tinha visto respondeu: "a vista do mirante da Villa Cimbrone, um dia de inverno brilhante". No Natal e ano novo, a cidade é famosa por seus mercados de rua e discotecas ao ar livre para se aquecer dançando.


 


A cidade na Costa Amalfitana tem também um rico património histórico e cultural. A Catedral de Ravello é de 1086, tem uma porta de bronze criada em Constantinopla e é dedicada a São Pantaleão, cujas relíquias são conservadas (o sangue na ampola), dentro da Catedral está o Museu del Duomo, com esculturas, sarcófagos e objetos romanos. Outros lugares sagrados para visitar são a Igreja de San Giovanni del Toro, do ano 1000 que apresenta arcos de mosaico trabalhado, a Igreja de Santa Maria a Gradillo do século XI (um antigo lugar de assembléias públicas) e a Igreja da Annunziata, hoje também é utilizada para Congressos de Cuebc, Centro Universitário Europeu para o patrimônio cultural, que tem sua sede em Villa Rufolo. E por fim a jóia de Ravello, a Villa Cimbrone.


 



 


Villa Rufolo é um edifício histórico do século XII, restaurado em meados de 1800 e é famoso por seus terraços e os claustros com vista para a Costa Amalfitana. Dentro da villa, há obras de arte e mobiliário de época, de valor inestimável. A estrutura do edifício, harmônico e decorativo, recebeu o apelido de pequeno Alhambra. Villa Cimbrone é outra maravilha de Ravello. Foi restaurado no início de 1900, e hoje é um hotel com um lindo jardim aberto ao público. Nas avenidas estão elementos arquitetônicos góticos e neoclássicos, rodeados de coloridos e preciosa espécie botânica.


 


A avenida que conduz ao terraço do infinito é um lugar encantador onde você pode andar no calor do verão e muito charmosa nas tardes de inverno. Não pode perder o Museu do Coral  na Piazza Duomo, construído em 1986 por Giorgio Filocamo herdeiro de pescadores e artesãos do precioso material de origem animal. É um lugar escondido onde existem mais de 600 obras de arte de uma extraordinária mão-de-obra. (Com destinositalia.com)