7 °C
Esporte

Natureza que encanta turistas na capital paranaense

|

DSCF2667

No meu segundo dia em Curitiba, fui conhecer alguns pontos turísticos e verificar como estava havia sido o movimento durante o período da Copa. A cidade, que recebeu quatro jogos na primeira fase do mundial, já não tinha muitos turistas de fora do país. Encontrei um grupo de noruegueses que estava no Brasil para a Copa. Antes de chegar à capital paranaense, eles haviam passsado pelo Rio de Janeiro. A escolha por Curitiba, segundo eles, era para conhecer os parques e a universidade livre do meio ambiente.


 


É a primeira voltada aos estudos do desenvolvimento com preservação ambiental. Foi inaugurada em 1992, com a presença do famoso oceanógrafo francês Jacques Cousteau. No local, é possível observar uma mostra sobre os trabalhos de responsabilidade socioambiental que são realizados na região da usina hidrelétrica de Itaipu, que completa 40 anos. São ações para tentar diminuir o impacto dos alagamentos na região, além de trabalhos com as populações.


 


Conheci o Museu Oscar Niemeyer, um dos principais pontos de visitação da capital paranaense. Inaugurado em 2002, tem como principal foco a arquitetura e design. Para adentrar ao local é preciso desembolsar R$6. Menores de 12 anos não pagam. Toda primeira quinta-feira do mês o acesso é gratuito após às 18h.


 


Ao contrário de outros pontos turísticos da cidade, o museu não concentra comércio no entorno. De acordo com os funcionários, isto se deve à localização do prédio, no bairro Centro Cívico, área administrativa da capital. O complexo de dois prédios abrange uma área de trinta e cinco mil metros quadrados. O prédio foi projetado por Oscar Niemeyer inicalmente em 1967, fiel ao estilo da época, concebido como um Instituto de Educação. Este edifício possui o segundo maior vão livre do Brasil, com 65m. Foi reformado e adaptado à função de museu, para o qual Niemeyer projetou o anexo, lembrando um olho, imprimindo-lhe uma nova identidade característica.


 


De lá, segui até o Parque Tanguá, outro ponto turístico da cidade. Inaugurado em 1996, fica no espaço onde havia duas pedreiras, que nos dias atuais estão desativadas. Logo na entrada a vendedora de pipoca comemorava as vendas. "O fato da Fan Fest ser aqui perto também ajuda a dar uma elevada nas vendas. O pessoal sempre passa por aqui também".


 


Fiz todo o trajeto a bordo da linha Turismo, um ônibus especial que faz o city tour no local. O ônibus leva os turistas a 25 pontos turísticos da capital paranaense, desde a área central até os bairros mais distantes. Normalmente, os veículos passam de 30 em 30 minutos, mas durante a Copa a linha está operando com ônibus circulando a cada 15. São 44 km de passeio, que é feito geralmente em pouco mais de três horas. Para os turistas estrangeiros, também é uma boa opção pelo fato de possuir gravações sobre os pontos da cidade em português, inglês e espanhol.


 



 


Márcio Ceccarelli
editor@braziliannews.uk.com