7 °C
Esporte

Festa iraniana na Fonte Nova apesar da chuva e da derrota

|

Mat03_Foto05

O dia 25 de junho teve Bósnia x Irã pelo Grupo F da Copa do Mundo na Arena Fonte Nova, em Salvador. Os iranianos ainda brigavam por uma vaga nas oitavas de final do torneio, enquanto os bósnios já estavam eliminados. Acordei cedo e, de baixo de chuva, me encaminhei para o Shopping Barra, um dos nove pontos com serviços especiais de transporte disponibilizados pelos organizadores para levar os torcedores ao estádio. Os ônibus custavam 20 reais (ida e volta) e saiam de 15 em 15 minutos. Pela via convencional, o serviço custa R$2.80 cada trecho.


 


Outra opção de transporte público era o recém-inaugurado metrô, que começou a funcionar durante a Copa. Foram 14 anos de obras até a inauguração da primeira parte da Linha 1, com 7,3 quilômetros. Na verdade, é bem fácil chegar à Fonte Nova, afinal de contas o estádio fica na área central da cidade, a cerca de 1 km do Pelourinho e a 6 km do Farol da Barra. Já o aeroporto está a 25 km do estádio.


 


O serviço de ônibus me deixou distante cerca de 800 metros do estádio, e segui a pé. Assim como nas outras quatro sedes já visitadas, a beleza da Arena Fonte Nova contrasta com a realidade dos vizinhos. A segurança em Salvador também estava reforçada, principalmente após as denúncias de pequenos furtos que estavam sendo realizados à turistas no entorno do estádio. Para chegar ao local, passei por duas barreiras policiais. Só conseguia acesso quem estava com ingressos para a partida em mãos.


 


No caminho, uma grande quantidade de iranianos, inclusive com pessoas do país distribuindo bandeiras à quem seguia à Fonte Nova. À frente do portão havia mais um torcedor iraniano, este pintando o rosto com as cores da bandeira de seu país. Conversei com ele e me disse que havia desembolsado R$ 30. Roberto, autor da pintura, dizia esperar pintar pelo menos 40 rostos. Havia bósnios fazendo o mesmo.


 


Também era possível ver o trabalho da mídia iraniana presente em Salvador. Apesar da empolgação do povo iraniano, a equipe acabou derrotada pela Bósnia por 3 a 1 e foi eliminada da Copa do Mundo. Apesar das chances de classificação antes da bola rolar, o time termina a competição na última colocação do Grupo F, com um ponto conquistado. Argentina e Nigéria, primeira e segunda colocadas, estão nas oitavas de final. A Bósnia, que ficou em terceiro com três pontos, também está fora. A única seleção estreante na Copa conquistou seus três primeiros pontos na história dos mundiais.


 


A saída do estádio foi tão organizada quanto a chegada. O curioso era ver os próprios baianos brincando ao ver os trens do metrô passar. "Eita, sai de baixo que esse aí não é confiável não", gritou um rapaz com a camisa do Bahia. Me juntei ao grupo e conversamos sobre a obra, bastante criticada por eles pela demora e pelo gasto excessivo de dinheiro.


 



 


Márcio Ceccarelli
editor@braziliannews.uk.com