15 °C
Notícias

Greve no metrô paulista deixa cartolas da Fifa presos no trânsito

|

Metro greve RFP5

Por Julio Rocha | juliorocha@live.com


Por conta da greve dos metroviários e dos agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo, funcionários da Fifa e do Comitê Organizador Local da Copa ficaram presos no trânsito da capital paulista, nesta quinta-feira (5).


Em um dos casos, integrantes dos dois grupos levaram mais de duas horas e meia no deslocamento do hotel até o Itaquerão. A chegada em São Paulo de alguns dos executivos da Fifa também foi traumática. Eles demoraram cerca de três horas no trajeto do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, ao hotel no Itaim Bibi.


Entre os atingidos pelo caos, estava o francês Michel Platini, presidente da Uefa e pré-candidato à presidência da Fifa. “Bem-vindos à cidade do trânsito”, diziam os cartolas uns aos outros em tom de brincadeira, porém visivelmente constrangidos.


Os jogadores da seleção brasileira também devem desembarcar em São Paulo na manhã desta sexta-feira (6), onde enfrentam a Sérvia no último amistoso antes da Copa. Do Aeroporto de Congonhas, os jogadores seguem num ônibus para o hotel onde ficarão hospedados na Marginal Pinheiros. Mesmo com a presença de batedores, eles devem enfrentar dificuldades no percurso que será feito em pleno horário do rush.


A greve do metrô paulista começou à meia-noite desta quinta-feira e atingiu, parcialmente, três linhas. A linha 4 (amarela), única administrada por uma companhia privada, operou normalmente. Isso foi o suficiente para deixar cerca de quatro milhões de trabalhadores sem transporte na maior cidade do hemisfério sul e provocar engarrafamentos recordes de 150 km de lentidão.


Sem acordo, os grevistas do metrô entram hoje no segundo dia de paralisação. Já os 'marronzinhos', assim chamados os agentes da CET, decidiram em assembleia suspender a greve.