18 °C
Mundo

Canadá suspende parte de programa de trabalhadores estrangeiros

|

Mat01_page17

O governo canadense anunciou na semana passadaa suspensão do programa que permite a trabalhadores estrangeiros atuar temporariamente no país, devido à multiplicação de denúncias de irregularidades. A suspensão ocorre depois de a televisão pública CBC ter revelado casos em que a McDonald’s e outras cadeias de alimentação despediram canadenses para contratar trabalhadores temporários estrangeiros com salários mais baixos. Após meses de denúncias, o ministro do Emprego do Canadá, Jason Kenney, anunciou uma “moratória imediata do acesso do setor de serviço alimentar ao Programa de Trabalhadores Temporários Estrangeiros”.


 


O programa foi criado pelo governo para suprir a alegada falta de mão de obra em áreas do país de rápido crescimento, como Alberta, por exemplo, onde as reservas petrolíferas levaram a uma explosão da economia. Em 2002, o Canadá aceitava 100 mil trabalhadores temporários estrangeiros, a maioria contratada para o setor agrícola ou para lugares remotos. Contudo, dez anos depois, o número triplicou para mais de 330 mil trabalhadores por ano.


 


Com o número, cresceram também as queixas de irregularidades cometidas por grandes empresas, que despedem os canadenses para contratar estrangeiros, em uma clara violação às regras do programa. Sindicatos e organizações civis têm denunciado que o verdadeiro objetivo do programa é proporcionar mão de obra barata e não cobrir a falta de trabalhadores.


 


Relatório divulgado por uma organização independente – o Instituto C.D. Howe – diz que o programa apenas serviu para baixar, de forma artificial, os salários dos trabalhadores nacionais, tendo também contribuído para o aumento do desemprego em algumas regiões e alguns setores.