19 °C
Mundo

Preso, capitão do navio coreano diz que temia pela vida dos passageiros

|

152151355__639768c

"Pensei que os passageiros seriam arrastados ao mar em caso de ser evacuados precipitadamente". a frase é de Lee Joon-seok, de 69 anos. O capitão do navio sul-coreano que naufragou na quarta-feira reconheceu que demorou a evacuação devido às condições adversas do mar e a ausência de embarcações de resgate. Joon-seok foi detido pela Polícia neste sábado. De acordo com o capitão, as águas frias e com ondas e fortes correntes do sudoeste da Coreia do Sul, fez com que ele achasse que os passageiros passariam "graves apuros" em caso de cair ao mar "inclusive com os coletes salva-vidas".


 


Familiares e sobreviventes criticaram a decisão de Joon-seok, que demorou meia hora para dar a ordem de evacuação após a embarcação começar a virar. Todos consideram que a decisão fez com que muitos passageiros perdessem a vida. O capitão não esclareceu, no entanto, a causa do afundamento do navio, que continua sendo uma incógnita, embora duas hipóteses principais sejam cogitadas.


 


Alguns especialistas acreditam que ele fez um giro brusco em vez de mudar de direção de forma gradual, o que conseguiu deslocar os 180 veículos e 1.157 toneladas de carga para um lado e finalmente fazer com que tombasse, embora também se trabalhe com a teoria de que foi a colisão com uma rocha que provocou o afundamento. Enquanto isso, os trabalhos de resgate continuam com poucos avanços e a embarcação tombada afundou totalmente.


 


Segundo os últimos números oficiais, há 273 desaparecidos, que se presume estejam presos dentro do navio com poucas probabilidades de continuar com vida, e 29 mortos confirmados, enquanto 174 pessoas foram resgatadas.