11 °C
Notícias

Governo apresenta orçamento para a Olimpíada: R$ 36.7 bilhões

|

911560

O governo apresentou na quarta-feira o orçamento para os Jogos Olímpicos de 2016, que serão disputados no Rio de Janeiro. O custo total foi estimado em R$ 36,7 bilhões. Deste valor, no entanto, os governantes afirmarma que 60% va berda deverá ser da iniciativa privada. Também foi estimado cerca de R$ 24.1 bi de legado para a capital fluminense. (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)


 


“Legado para a gente não é um estádio bonito que vai ser desmontado depois. Legado para a gente é  o que fica para a população. Você tem equipamentos esportivos que ficam para depois, como o centros de treinamento, que terão uma função esportiva. O bom da história é que naquilo que é mobilidade, infraestrutura urbana, você não tem uma reclamação do COI , o legado vai muito bem”, disse o prefeito Eduardo Paes.


 


A prefeitura do Rio será responsável por 14 projetos, em um total de R$ 14,3 bilhões, sendo 64% (R$ 9,2 bilhões) dos recursos privados, 28% (R$3,9 bilhões) municipais e 8% (R$1,2 bilhão) federais. Há dinheiro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e também de parcerias público privadas (PPPs).


 


O governo estadual vai investir, no total, R$ 9,7 bilhões em dez projetos de legado, o principal deles é a Linha 4 do metrô, que recebe R$ 8,79 bilhões. Os R$ 1,2 bilhões de capital privado nos projetos do estado são para o metrô. Também em mobilidade, serão renovadas as estações de trem próximas aos principais espaços olímpicos. Na área de meio ambiente, foi apresentado o programa de ecobarreiras e ecobarcos que evitam que o lixo flutuante chegue à Baía de Guanabara e ajudam na coleta desse material, além de saneamento e dragagem na zona oeste. De acordo com o governador Luiz Fernando Pezão, o projeto de sanear 80% da baía até 2016 não está nos planos de legado, mas continua a ser executado.


 


A esfera federal envolve três projetos, no valor total de R$ 110 milhões. O principal é a construção e estruturação do Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem, dentro do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). De acordo com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a melhoria dos aeroportos não foi incluída no plano de legado.