24 °C
Notícias

Parlamento ucraniano aprova criação de Guarda Nacional

|

Mat01_Page11

O parlamento da Ucrânia aprovou no final da semana passada a criação da Guarda Nacional, uma nova força policial militarizada, nascida em meio ao conflito causado pela intervenção militar russa no território autônomo, e separatista, da Crimeia. Dos 330 deputados que participaram da votação, 262 apoiaram a nova lei que prevê que a nova força, formada com as tropas dependentes do Ministério do Interior, "defenderá o povo ucraniano de agressões internas e externas", explicou o presidente interino da Ucrânia, Aleksandr Turchinov.


 


"Cerca de 20 mil ucranianos poderão formar em breve a reserva especial da Guarda Nacional e estar preparados para cumprir as tarefas de defesa da paz e da estabilidade no país", escreveu o titular de Interior, Arsen Avakov, em sua página no Facebook.


 


Acrescentou que pelo menos 50 mil cidadãos ucranianos já se mostraram dispostos a formar as fileiras da Guarda. "A criação da Guarda Nacional da Ucrânia é um passo muito importante para o país em resposta às tentativas vindas do exterior de desestabilizar a situação", ressaltou o ministro de Interior em referência à intervenção russa na república separatista da Crimeia.


 


Turchinov ordenou na terça-feira criar a Guarda Nacional no meio da crescente tensão entre Kiev e Moscou pela ocupação russa da rebelde autonomia. As autoridades pró-russas da Crimeia convocaram para este domingo um referendo sobre a integração da autonomia à Federação Russa, consulta declarada ilegal pelo governo central central da Ucrânia.


 


Putin tem apoio de 71% dos russos, revela pesquisa


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, tem o respaldo do 71,6% dos russos, afirma uma pesquisa divulgada pelo Centro Russo de Estudos da Opinião Pública (VTSIOM, na sigla em russo). De acordo com os sociólogos do VTSIOM, a partir de meados de fevereiro, quando a crise na Ucrânia eclodiu, o apoio à política do chefe do Kremlin subiu 9,7 pontos percentuais e chegou a seu ponto mais alto desde maio de 2012 (68,8%), quando Putin iniciou seu terceiro mandato como presidente da Rússia.


 


Para 64% dos participantes da pesquisa o acontecimento mais importante da semana passada foi a crise na Ucrânia e a situação na república autônoma ucraniana da Crimeia, enquanto 32% votaram na inauguração dos Jogos paralímpicos de Inverno de Sochi (Rússia). A pesquisa, com margem de erro de 3,4%, foi realizada nos dias 8 e 9 em 130 cidades de 42 das 83 distritos da Federação Russa.