12 °C
Home

Deputados aprovam proibição de fumar em carros com menores

|

Sem título-24

A câmara dos Comuns britânica aprovou na segunda-feira, por uma arrasadora maioria, a proibição de fumar em veículos que transportem menores de 18 anos na Inglaterra, medida respaldada pela classe médica. A iniciativa, impulsionada pelo opositor Partido Trabalhista, não implica necessariamente no início dessa proibição, mas outorga ao ministro de Saúde os poderes para transformar em delito o fato de um motorista não impedir que alguém fume quando uma criança estiver presente.
A emenda, já aprovada em janeiro pelos Lordes, recebeu 376 votos a favor e 107 contra, depois que a coalizão entre conservadores e liberal-democratas outorgou liberdade de voto a seus deputados. A aprovação foi precedida por um grande debate no Reino Unido entre os que defendiam sua necessidade, pelo dano que o tabaco representa aos pulmões das crianças, e os que opinam que se trata de uma intromissão inaceitável na vida privada. Trata-se de uma emenda à chamada Lei de Crianças e Famílias que só afetará a Inglaterra, já que as outras regiões britânicas contam com autonomia para adotar suas próprias decisões nesta matéria, apesar dos Governos autônomos de Gales, Escócia e Irlanda do Norte terem medidas parecidas.


Em carta recentemente enviada à revista médica “British Medical Journal”, mais de 500 especialistas da saúde pediram aos deputados que respaldassem a proibição de fumar em carros onde há menores para evitar que sejam fumantes passivos. Segundo esses especialistas, a inalação da fumaça é a maior causa de doenças em crianças, pois provoca danos em seu desenvolvimento pulmonar, infecções de ouvido, meningite e morte súbita. A cada ano são registrados no Reino Unido 300 mil casos de atendimento primário, 9.500 ingressos em hospitais, pelo menos 200 casos de meningite bacteriana e 40 mortes súbitas infantis relacionadas com a inalação da fumaça do tabaco, segundo o Colégio de Médicos. Uma pesquisa realizada pela organização “Cancer Research UK” revelou que quase um quarto dos cidadãos subestimam a quantidade de mortes que são associadas ao tabaco.


O prefeito de Londres, o conservador Boris Johnson, também se pronunciou a favor da proibição por considerar “repugnante” e “danoso” o hábito de fumar em um veículo com menores. O vice-primeiro-ministro britânico, Nick Clegg, se mostrou contrário, argumentando motivos práticos ao mesmo tempo em que grupos a favor do tabaco tacharam a lei de “intrusão desnecessária”. Este tipo de proibição já existe e está sendo reforçada em países como a Austrália, Canadá, África do Sul e Estados Unidos. No Reino Unido, há mais de cinco anos é proibido fumar nos postos de trabalho e em lugares públicos fechados.