- °C
Home

Boris Johnson completa um ano no poder sem cumprir promessas feitas aos latino-americanos

|

Acervo pessoal

BoriseBigio



Por Isaac Bigio*

Em 24 de julho, o atual primeiro-ministro britânico comemorou seu primeiro aniversário no poder. Entretanto, ele ainda não cumpriu nenhuma das promessas que fez à nossa comunidade quando era Mayor de Londres.

Em setembro de 2010, há 10 anos, Boris Johnson organizou a primeira e única recepção diante de embaixadores e líderes comunitários de língua espanhola e portuguesa na prefeitura da cidade, na qual ele se proclamou como o primeiro prefeito da capital a ser latino-americano, porque estava orgulhoso de que seus pais o conceberam no México e o fizeram nascer em um hospital porto-riquenho em Nova York.

Lá ele disse que um processo de celebração dos bicentenários da América Latina estava começando e que os latino-americanos eram oficialmente reconhecidos em todas as suas formas.

Desde que chegou ao poder, ele nunca mais mencionou sua suposta origem latino-americana, nem continuou a celebrar os bicentenários considerando que este outubro é o de Guayaquil, que em 2021 é o do Peru, Costa Rica, Nicarágua, El Salvador e Honduras, que em 2022 é o do Brasil e que em 2025 é o da Bolívia.

Também não garantiu que uma categoria fosse incluída no censo para que todos nós do mundo de língua espanhola e portuguesa fôssemos identificados, como é o caso dos Estados Unidos. Isto apesar do fato de que, de acordo com dados oficiais, já existem cerca de 550.000 cidadãos espanhóis e portugueses, 100.000 brasileiros, cerca de 100.000 hispano-americanos e quase 50.000 africanos de língua portuguesa e espanhola.

A promessa que ele sempre fez, especialmente quando em janeiro de 2009 organizamos uma assembleia com 2.000 latino-americanos no maior coliseu fechado do centro de Londres, foi a de anistiar centenas de milhares de imigrantes indocumentados porque, segundo ele, isso ajudaria a tesouraria e o desenvolvimento da economia.

Não foi concedida tal anistia durante a pandemia quando os irregulares foram o setor mais pobre e mais propenso a contrair e difundir a COVID-19. Entretanto, ele propõe agora dar uma forma de passaporte britânico a 3 milhões de chineses de Hong Kong, muitos dos quais nunca conheceram as ilhas britânicas. 

Uma das primeiras incursões de Johnson na comunidade latino-americana foi quando ele visitou o maior mercado latino de Londres, o Pueblito Paísa, em Tottenham, durante as eleições municipais maio de 2008, nas quais ele se tornou o primeiro conservador a ser prefeito da capital. Boris fez então a promessa de defender este centro social, comercial e cultural, que uma construtora quer demolir, em um bairro latino. Entretanto, ele não foi capaz de garantir isso.


* Isaac Bigio é historiador e fundador do Amigo Month.