- °C
Home

Três vítimas fatais em ataque terrorista em Reading

|


Forbury Gardens




Da Redação


A segunda vítima do ataque de Reading, ocorrido no sábado (20/06) foi nomeada como um homem americano de 39 anos. Joe Ritchie-Bennett foi uma das três pessoas mortas no Forbury Gardens, Reading, por um homem que disse ter começado a esfaquear grupos ao acaso no parque da cidade, que fica a 66,4 quilômetros de Londres.


Um homem de 25 anos, Khairi Saadallah, foi detido próximo ao local e preso por suspeita de assassinato. Fontes da BBC dizem que ele é proveniente da Líbia. Khairi continua detido a ser interrogado.


Ritchie-Bennett cresceu na Filadélfia, mas viveu no Reino Unido nos últimos 15 anos, de acordo com a CBS. Sua família ainda vive na Filadélfia e seu pai Robert Ritchie disse ao Eyewitness News: "A família está de coração partido por terem perdido o seu filho brilhante e amoroso. Isto foi sem sentido".


A primeira vítima foi oficialmente nomeada no domingo: o professor James Furlong. Estudantes e funcionários da Holt School em Wokingham renderam homenagens ao professor Furlong, conhecido por seu temperamento "adorável".


Alunos e colegas do Sr. Furlong participaram de um minuto de silêncio na escola na manhã desta segunda-feira (22/06).


Martin Cooper, chefe executivo da instituição de caridade LGBT+ Reading Pride, disse que conhecia Joe Richie-Bennett há quatro anos e o Sr. Furlong há pelo menos dois, tendo-os conhecido no Blagrave Arms in Reading - um pub onde eram frequentadores regulares.


Cooper acrescentou que ambos eram "apoiadores" e membros da comunidade. "A perda deles é uma tragédia para tantas pessoas", disse o jovem de 36 anos da Reading. "Foi sempre um prazer beber e socializar e apenas estar na companhia deles."


Há ainda uma terceira vítima, ainda não oficialmente nomeada.


A secretária do Interior, Priti Patel, foi ao local do ataque terrorista de Reading no domingo (21/06) e disse: "Quero dizer que este é um evento trágico. Nós vimos três pessoas morrerem, então há um trabalho extenso que está acontecendo, sim, com a polícia, mas obviamente agora também com a polícia de CT (antiterrorismo), e a comunidade de inteligência e todos os aspectos do policiamento.


"Temos muita informação a recolher, temos que olhar para todos os aspectos do que aconteceu no sábado, o indivíduo que também está sob custódia, para garantir que, sim, seja feita justiça. Mas, também, temos que aprender as lições do que aconteceu no fim de semana para evitar que algo assim aconteça novamente."