- °C
Home

Regulador financeiro britânico propõe congelamento dos pagamentos de empréstimos e cartões de crédito por 3 meses

|

Foto: Unsplash


Webaroo em37kS8WJJQ unsplash


Da Redação


Financial Conduct Authority (FCA), o regulador financeiro britânico, confirmou nesta quinta (02/04) planos para congelar os pagamentos de empréstimos e cartões de crédito por um período máximo de três meses, como parte das medidas de emergência para os consumidores afetados pelo surto do coronavírus.


Medidas como essa normalmente exigiriam uma longa consulta, mas nesse caso pode entrar em vigor a partir de 9 de abril. A pressa em colocar a medida em vigor, segundo representantes da Financial Conduct Authority, se dá devido à “emergência nacional e o impacto significativo nas finanças dos consumidores neste momento".


Terão direito ao congelamento dos pagamentos os consumidores e arrendatários que não se beneficiem das medidas de auxílio existentes que visam os proprietários de imóveis residenciais que pagam hipotecas ou proprietários de empresas.


O alívio nas contas será oferecido aos que enfrentam dificuldades financeiras em consequência do surto.


A FCA afirmou que os consumidores que correm o risco de ver os seus cartões de crédito suspensos devido à falta de pagamento não perderiam o acesso às suas contas.


Outra proposta é que os bancos renunciem à cobrança de juros sobre os saques no cartão de crédito de até 500 libras esterlinas durante o mesmo período, o que alargaria o alívio já anunciado por alguns bancos, incluindo Barclays, HSBC e Lloyds.


"O coronavirus causou um choque financeiro sem precedentes, com consequências de grande alcance para os consumidores em todos os cantos do Reino Unido. Se se confirmar, este pacote de medidas que hoje propomos ajudará a fornecer aos consumidores afetados o apoio financeiro temporário de que necessitam para os ajudar a resistir à tempestade durante este período difícil", disse o chefe executivo interino da FCA, Christopher Woolard.