5 °C
Home

Coronavírus em UK: Mais vulneráveis receberão comida e medicamentos em casa

|


Robert Jenrick



Da Redação


O governo britânico vai identificar todas as pessoas consideradas do grupo de alto risco, em caso de contaminação de coronavírus, e aconselhar um auto isolamento em casa por 12 semanas. Foi o que anunciou o Secretário das Comunidades Robert Jenrick, durante recente briefing do primeiro ministro Boris Johnson sobre o Covid-19.


Estima-se que 1,5 milhão de pessoas no Reino Unido se enquadram neste grupo de risco. A essa parte da população, o governo pretende dar suporte para quem não seja necessários um deslocamento sequer à farmácia ou ao supermercado.


O primeiro passo será dado pelo NHS, que identificará as pessoas com maior risco de coronavírus e enviará uma carta ainda nesta semana.


A carta trará uma série de conselhos, incluindo um website e um número de telefone para que as pessoas contactem para confirmar se precisam de ajuda na obtenção de alimentos e medicamentos.


Os que não puderem contar com uma rede de apoio, da família ou de amigos, o governo fará chegar às suas portas mantimentos e remédios. As pessoas que receberem essa carta estarão aptas a responder confirmando a necessidade do serviço, e informando preferências em termos de requisitos dietéticos e condições médicas.


Estes detalhes permitirão então que uma encomenda de alimentos seja entregue na casa. Jenrick explicou sobre a criação de uma rede de distribuição, que cobrirá todo o país.


Os pacotes de alimentos são gratuitos, mas o secretário das Comunidades disse que isso poderia mudar se o governo precisar criar um sistema mais sofisticado para adaptar-se a necessidades individuais.


Mas para garantir que as pessoas "que realmente precisam dele recebam seus suprimentos o mais rápido possível", os pacotes de alimentos serão gratuitos inicialmente.


"O Governo, a indústria alimentar, os farmacêuticos comunitários, os conselhos locais e os serviços de emergência estão a trabalhar 24 horas por dia para pôr este esquema em prática. Membros das forças armadas já estão a apoiar este esforço, incluindo alguns dos melhores planejadores militares do mundo", disse Jenrick.