13 °C
Home

Saúde mental

|


Finn nJupV3AOP U unsplash


Por Lisa Coelho*

Tenho 43 anos, sou natural da linda ilha da Madeira e moro em Londres há 20 anos. Ao longo do tempo, as minhas experiências de trabalho variaram entre catering, administração e atacadista. Por motivos vários, acabei trabalhando para o NHS, onde atualmente sou assistente de terapeuta ocupacional no setor de saúde mental - forense.

Contrariamente à minha “persona”, que o mundo inteiro costuma ver nas mídias sociais pelo perfil do Facebook “Xavelha 100%”, trazendo diariamente aos imigrantes portugueses (de todo o mundo) o humor, fora das mídias sociais levo a vida um pouco mais à sério. Assim sendo, gostaria de contar um pouco sobre a importância de cuidar de sua saúde mental e da dos seus entes queridos e compartilhar um pouco as minhas experiências profissionais e pessoais.

A saúde mental não é mais um tabu, graças a Deus. Hoje em dia vemos várias celebridades vir a público falar sobre o assunto fazendo com que aqueles que sofrem com problemas de saúde mental sintam que não estão sozinhos, que não há problema em falar sobre isso e, essencialmente, se pode encontrar ajuda.

Os problemas de saúde mental podem variar desde ansiedade e ataques de pânico, transtorno bipolar, depressão, transtorno alimentar, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno de personalidade, transtorno de stress pós-traumático, psicose, transtorno esquizoafetivo, esquizofrenia, auto-mutilação, sentimentos suicidas, etc.

A maioria deles pode ser individualmente subestimada e, portanto, não ser reconhecida como um problema mental (digo isso de acordo com minha experiência pessoal).

Os mais comuns são: ansiedade e ataques de pânico, depressão e transtorno de stress pós-traumático.

Quando diagnosticado, você ouvirá a frase comum de pessoas que sofrem desses problemas mentais: "Eu não sou louco!". E eles estão certos. Eles não são loucos mas têm um problema mental e, quanto mais cedo o aceitarem e lidarem com isso, maior a chance de terem uma vida normal com o melhor de suas habilidades, com o tratamento precoce correto.

Reconhecer que você sofre de algum transtorno de saúde mental pode ser muito assustador, mas viver em negação pode ser fatal. Não tema. Fale primeiro com seu médico.

O nosso maravilhoso NHS tem várias ferramentas para ajudá-lo, se houver comprometimento da sua parte em seguir o tratamento recomendado. Fale com seus parentes e com seus amigos e informe-os como você se sente e peça ajuda se precisar. Se o processo lhe parecer muito complicado ou se houver uma barreira no idioma, também há serviços gratuitos disponíveis na comunidade portuguesa dos quais você tem direito.

Na maioria das vezes (dependendo do problema mental), você nem precisa ser internado no hospital para tratamento, mas simplesmente fazer terapia.

Como assistente de terapia ocupacional, oferecer terapia aos meus pacientes é o que faço diariamente e, posso dizer, com sucesso. Pode traduzie-se em terapia de conversação, apoio individual em suas tarefas diárias normais ou organizar atividades divertidas.

A minha função principal é mostrar que me importo em colocar o bem-estar dos pacientes no centro de tudo o que fazemos juntos.

Homens com problemas de saúde mental ainda relutam em reconhecer, por isso apelo a todos: se você é esposa, mãe, irmã ou amigo e se apercebe de alguém vivenciando problemas com a sua saúde mental, por favor, ajude a procurar ajuda.

Conhecimento é ouro!

Como assistente de terapia ocupacional, trato aproximadamente 95% dos pacientes do sexo masculino e 5% dos pacientes são do sexo feminino. Embora, devido à natureza do meu trabalho (forense), eles não se admitam necessariamente no serviço (são "forçados" a fazê-lo porque estão sob as ordens do MOJ e tem de cumprir as suas sentenças em um Hospital de Saúde Mental devido a seus problemas mentais e, portanto, não são capazes de cumprir suas sentenças em uma prisão "normal") na maioria dos Hospitais de Saúde Mental - as pessoas que não são forenses podem admitir a si mesmas ou ser encaminhadas por seus médicos de clínica geral.

A idade e o sexo variam bastante porque é uma condição de saúde que não "escolhe" as vítimas.

Para finalizar, gostaria de compartilhar com você que escrevo isso porque não só me importo, mas também tive problemas de saúde mental e agradeço ao NHS por me ter oferecido a ajuda e o suporte certos quando foi necessário.

Tudo isso para dizer a todos: VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO!



* Lisa Coelho é mais conhecida pela sua personagem de humor, sucesso nas redes sociais, chamada Xavelha 100%. Ela é também assistente de terapia ocupacional do NHS, no setor de saúde mental - forense.