11 °C
Home

Conversa com o embaixador de Portugal

|


2FD68567 0FF1 40B7 A4AE 51070F7A15EC


Por Marta Stephens

Há 34 anos na carreira diplomática e embaixador de Portugal no Reino Unido desde 2016, Manuel Lobo Antunes participou, na quinta-feira (03/10), de uma tertúlia no Centro Comunitário de Kennington. Foi uma chance para a comunidade portuguesa entender melhor o papel de um embaixador.

O evento teve início com a apresentação do pianista e professor Jorge Reis, que tocou My Way, de Frank Sinatra. Depois, o jornalista Alcino Francisco iniciou a sessão de perguntas. Houve chance ainda para que alguns ouvintes fizessem seus questionamentos. Ao final, pastel e vinho para brindar o encontro comunitário.

Manuel Lobo Antunes é irmão do novelista António Lobo Antunes, um dos grandes desta geração e que já foi nomeado candidato ao Prêmio Nobel de Literatura. Antes do Reino Unido, Manuel foi embaixador da Itália por quatro anos.

A seguir, um resumo das palavras de Lobo Antunes.

Carreira diplomática

Sou funcionário público. Minha função é representar os interesses do nosso país no estrangeiro. E manter o governo português informado. Algumas vezes preciso negociar acordos e parcerias.

Diferença entre embaixada e consulado

O consulado tem funções administrativas. Faz, em território estrangeiro, o que os órgãos oficiais fazem no país, além de defender os interesses dos cidadãos, por exemplo, acompanhando julgamentos de presos. Todas as atribuições são regidas por tratados internacionais, tanto na embaixada quanto no consulado. Eu sou o representante máximo do governo português no Reino Unido e, ainda que não esteja na gestão consular, em último recurso serei eu o responsável também por questões do consulado.

Como se escolhe o embaixador

A carreira diplomática obedece uma hierarquia de cargos. Primeiro adido, depois secretário de segunda e primeira classes, conselheiro, ministro de segunda e primeira classes e só então embaixador. Trata-se de uma escolha arbitrária do governo de acordo com as vagas e os profissionais capacitados disponíveis. Em última instância, cabe ao presidente da república aceitar ou não a sugestão de nome. Nunca sucede uma negação nesse ponto.

Encontro com a rainha

A rainha recebe entre quatro e cinco embaixadores de cada vez, não há tempo para conversas muito alongadas. Tive com a rainha uma conversa amigável, simples, ela me perguntou sobre minha carreira, o que fiz, onde estava antes de ocupar a vaga no Reino Unido. Não discutimos Brexit. Posso dizer que a rainha é uma pessoa muito simpática de agradável. Ela conhece Portugal muito bem e sabe sobre a relação histórica entre os dois países. Ao final, ela me desejou sorte na minha atuação.

Dupla nacionalidade

Todos os cidadãos com nacionalidade portuguesa, ainda que tenham também uma segunda nacionalidade, têm os mesmos direitos que um que seja tão somente português. Cidadão português é sempre cidadão português. Países como Angola, Timor-Leste, Moçambique e Brasil têm representações consulares no Reino Unido. Nesses casos, tentamos manter uma relação estreita com meus colegas e atuamos juntos em questões de interesse mútuo, como na celebração do Dia da Língua Portuguesa.

Empregos na embaixada


Hoje temos mais de 20 pessoas trabalhando na embaixada. Há frequentes concursos públicos para vagas aqui – tivemos dois ou três recentemente. São concursos aprovados pelo Ministério das Finanças. Eu gostaria de aumentar o número de funcionários, mas atualmente só consigo substituir quem deixa o quadro.