11 °C
Home

Aumenta o número de ataques contra policiais e paramédicos na capital

|

Kai Pilger/Unsplash

Kai pilger Xq3RLluXfYo unsplash



Por Ulysses Maldonado


Foi revelado pelas autoridades um aumento nos ataques contra os serviços de emergência de Londres, quando a polícia e os paramédicos disseram que comportamentos violentos cuspir, bater e chutar estavam se tornando comuns.


Os ataques contra policiais aumentaram aproximadamente 13% em 12 meses, para 5.606, 25% mais do que no ano anterior.


A equipe do Serviço de Ambulância de Londres sofre cerca de 500 ataques físicos por ano e mais de 800 casos de abuso e ameaças verbais.


A magnitude do problema ficou clara quando foi lançada a campanha Awesome Movement, que incentiva uma maior valorização do público pelos funcionários do serviço 999.


Uma excursão de ônibus por Londres, através de hospitais, polícia e bombeiros distribuiu café, rosquinhas e cupons de sanduíche para o pessoal uniformizado.


O inspetor Finbar King, 39 anos, disse: "As pessoas agora estão mais inclinadas a serem" práticas "do que simplesmente abusar verbalmente de nós. O mais comum são chutes e cuspes.” A paramédica do LAS Caitlin Fiddler, 22 anos, contou como uma paciente cuspiu no seu rosto quando ela estava tentando tratar seu ferimento na cabeça em dezembro passado.


"Foi o meu primeiro encontro com alguém que foi realmente agressivo comigo."


O executivo-chefe da LAS, Garrett Emmerson, disse que entre 25 e 30 pessoas por ano foram condenadas por agredir funcionários da LAS. "No decorrer de um ano, perderemos 260 dias de doenças dos funcionários que foram fisicamente atacados", acrescentou.


Michael Howard, que fundou o Awesome Movement, disse: "Esses caras estão fazendo um trabalho incrível em circunstâncias difíceis".


A polícia está pedindo testemunhas depois que um policial foi socado no rosto enquanto tentava prender um suspeito de assalto em Masefield Lane, Hayes, às 2 horas da manhã da segunda-feira (16/09).