19 °C
Londres

Restaurantes de fast food devem suspender vendas para menores

|

Tareq Ismail/Unsplash

Tareq ismail tEg7EK ok3E unsplash (1)



Por Ulysses Maldonado


Restaurantes take-away não devem vender fast food para crianças desacompanhadas depois da escola para ajudar a conter a crise da obesidade infantil em Londres, disseram especialistas.


Um grupo de trabalho da Câmara Municipal, que atua para reduzir pela metade o número de crianças em idade escolar com sobrepeso e obesidade na capital até 2030, fez uma série de recomendações sobre esse aspecto.


O grupo pede que "os alimentos e bebidas mais prejudiciais que os jovens geralmente consomem" sejam removidos do cardápio durante o horário de pico, provavelmente durante o almoço escolar, duas horas depois da escola e durante as refeições nas férias escolares.


Londres possui aproximadamente 8.563 estabelecimentos que vendem fast food para viagem. Cerca de 20% das crianças no último ano do ensino fundamental são obesas, embora isso varie pela renda familiar, de 11,4% em Richmond a 29,7% em Barking e Dagenham, de acordo com o Programa Nacional de Medição Infantil do NHS.


O relatório da Força-Tarefa de Obesidade Infantil de Londres, estabelecido pelo prefeito Sadiq Khan, diz que as lanchonetes de fast food podem "liderar o caminho" na mudança de hábitos pouco saudáveis.


Também sugere a retirada de publicidade de alimentos ricos em gordura, açúcar e sal para crianças da rede de metrô e ônibus para todos os espaços ao ar livre em Londres, em particular estádios esportivos e centros de lazer.


O grupo de trabalho, que inclui chefes de saúde pública e serviços sociais, sugere que as lojas e supermercados parem de exibir alimentos não saudáveis ao nível dos olhos ou das mãos de uma criança pequena.


Apela a um "aumento dramático" no número de ruas residenciais temporariamente fechadas ao tráfego para criar "espaços lúdicos" para as crianças e incentivar a atividade física.


A disponibilidade de água potável gratuita deve ser generalizada, com a ideia de que a "London Water" sirva como uma opção para as famílias.


Um esquema de cupons que ofereça frutas e verduras grátis para londrinos de baixa renda deve ser ampliado e devem ser fornecidos conselhos em carta enviada aos pais sobre a pontuação das medidas de seus filhos em estilos de vida ativos e alimentação saudável.


O presidente do grupo de trabalho, Paul Lindley, disse: "Muitas de nossas crianças correm o risco de ter problemas de saúde por toda a vida, tendo um peso doentio causado pela desigualdade. Queremos desencadear uma transformação em Londres para que toda criança tenha a oportunidade de crescer comendo saudável, bebendo água e fazendo atividade física ".


Khan disse: "O relatório do grupo de trabalho sobre obesidade infantil em Londres exige ações em toda a capital”.