11 °C
Londres

EUA devem £12 milhões à TfL por multas de trânsito

|

New Embassy of the United States of America in Battersea Nine Elms, London, seen from Pimlico


Por Ulysses Maldonado

O governo dos Estados Unidos deve à administração pública de Londres mais de £12 milhões por se recusar a pagar a taxa de congestionamento. Esta é a maior dívida deste tipo de um país estrangeiro.

A Embaixada dos Estados Unidos, que agora tem sua base em Battersea, deve à Transport for London (TfL) £12,59 milhões em encargos e multas, acumuladas por autoridades americanas nos últimos cinco anos.

O presidente dos EUA, Donald Trump, chegou a Londres para uma visita de Estado, prometendo continuar a relação já "forte" entre os dois países.

A TfL diz que a taxa de congestionamento não é um imposto e, portanto, todas as embaixadas devem pagá-la. No entanto, muitos países se recusam a fazê-lo, alegando que estão isentos.

O presidente já causou polêmica, insultando o prefeito de Londres, Sadiq Khan, chamando-o de "fracassado" nas redes sociais. O prefeito respondeu acusando o presidente de "comportamento Playground" e um "garoto-propaganda para a extrema direita".

Os Estados Unidos estão entre as dezenas de embaixadas que se recusam a pagar as multas. O Japão deve mais de £8,5 milhões e a Alemanha deve mais de £4 milhões.


Paul Cowperthwaite, gerente geral da TfL para a carga de usuários de rodovias, disse: "estamos certos de que a taxa de congestionamento é uma cobrança por um serviço e não um imposto. Isso significa que os diplomatas estrangeiros não estão isentos de pagá-lo."