18 °C
Comunidade

Mais dois presos acusados pela morte de Iderval

|

Jose Alexandre

62541032 2183513935098924 4132266083627302912 n


Da Redação

A Polícia Metropolitana prendeu mais dois suspeitos pela morte do brasileiro Iderval da Silva, morto após ser brutalmentre agredido por uma gangue que tentava roubar a sua motocicleta, em Battersea, no sábado (25/05). Iderval foi levado ao King’s College Hospital, mas teve morte cerebral declarada na terça-feira (28/05).

Segundo informações da polícia, um rapaz de 16 anos foi preso na quarta-feira (05/06). Ele compareceu ao Tribunal de Magistrados de Wimbledon na quinta (06/06). Neste mesmo dia, outro rapaz de 17 anos foi preso, também sob acusação de homicídio.

Com as prisões anunciadas, já são cinco os suspeitos alcançados pela polícia. Quatro deles continuam sob custódia do Estado à espera de julgamento.

Anteriormente, Jaden Richards, 19 anos, de Strasburg Road, Wandsworth, foi acusado de assassinato na noite de sexta (31/05). Ele apareceu no Tribunal de Magistrados de Wimbledon no sábado e está preso sob custódia para comparecer ao Old Bailey. Há outro garoto de 16 anos preso sob custódia, acusado de homicídio.

No dia do crime, mais um garoto de 16 anos foi preso perto do local por suspeita de danos corporais graves. Ele foi levado a uma delegacia de polícia do oeste de Londres e foi libertado sob investigação policial.

Entenda o caso

A Polícia Metropolitana foi chamada por volta das 16h30 do sábado (25/05) e encontrou o brasileiro, que também tem nacionalidade portuguesa e trabalhava para Uber Food Delivery, ferido com gravidade na cabeça na Charlotte Despard Avenue, próximo a Battersea Park Road.

Iderval nasceu em Presidente Prudente, no estado de São Paulo, e deixou um filho de 26 anos, Kaike Silva, nascido em Portugal e residente em Londres. Conhecido como Bugrão, ele era ex-militar (terceiro sargento do Batalhão de Engenharia Motorizada) e também mestre de capoeira.

Segundo testemunhas, Iderval saia de um restaurante quando viu os garotos tentando roubar sua moto. Ele se aproximou do grupo, que estava no estacionamento próximo a Battersea Park Road. Os jovens teriam então reagido com violência. Um deles usou um martelo para ferir Iderval na cabeça. A moto não foi roubada e foi levada pela polícia para investigação.

A comunidade brasileira e de trabalhadores de empresas de delivery organizaram dois atos de protesto, desde o incidente. No primeiro, na terça (28/05), 300 pessoas, a maioria motoqueiro, se encontraram em Battersea. De lá, muitos seguiram em comboio em suas motocicletas até Westminster. Como não portavam uma licença para fazer o protesto, muitos motociclistas acabaram multados.

O segundo protesto, na quinta (06/06), tinha todas as autorizações necessárias. Com bandeiras do Brasil e imagens de Iderval, motociclistas percorreram as principais avenidas de Westminster pedindo justiça.