18 °C
Reino Unido

Conselho do Fulham compra área em Earl's Court para construir casas populares

|

Wikipédia

Earls Court Exhibition Centre


Por Ulysses Maldonato

Os líderes do conselho de Hammersmith e Fulham planejam comprar terras no antigo local do Earl’s Court Exhibition Center, de propriedade de um desenvolvedor privado e da Transport for London, bem como o Lillie Bridge Depot, que é de propriedade integral da TfL.

O movimento é a mais recente escalada de uma longa batalha entre a autoridade local, liderada pelos trabalhistas, sobre o futuro do plano de regeneração de £ 12 bilhões.

Em fevereiro, a administração do distrito revelou que estava "considerando" o CPO, que permite que às agências estatais comprarem terras privadas sem o consentimento do proprietário, mas agora estaria pronta para confirmar oficialmente que isso vai acontecer.

O plano será apresentado primeiro ao conselho para aprovação, em setembro, como parte de uma estratégia mais ampla de habitação.

Excepcionalmente, o CPO também implicaria uma apropriação de terras na fronteira do município em Kensington & Chelsea.

O líder do conselho, Stephen Cowan, disse: "É um passo incomum para um líder do município implementar um plano para as terras dos CPO controladas pelo Prefeito de Londres e outro município, mas precisamos de ação e decisões ousadas.

"Este é o local mais importante em Londres, mas nenhum progresso foi feito em quase sete anos, não temos escolas, casas, espaços abertos, transporte ou empregos melhorados para a população local.

"Precisamos avançar um desenvolvimento integral da área. Faremos um planejamento adequado, garantiremos que todos trabalhem juntos e que possamos maximizar a moradia realmente acessível."

O conselho planeja tomar emprestado o dinheiro necessário para comprar a terra, que inclui propriedades que abrigam cerca de 2.000 pessoas, do Conselho de Empréstimo para Obras Públicas do governo, na esperança de que seu forte rating de crédito permita o acesso a fundos a taxas de juros muito baixas.

A disputa ofuscou propostas para o local, desenvolvido pelo urbanista Sir Terry Farrell, para construir 7.500 casas, incluindo 1.500 que seriam consideradas acessíveis.


Em novembro passado, a empresa privada disse que estava em negociação para vender a maior parte das ações da Earl's Court para um bilionário de Hong Kong. O terreno inclui duas propriedades que comprou da administração conservadora anterior do conselho por £ 110 milhões em 2012.