17 °C
Gastronomia

3 lugares para comer bem (sem gastar muito) em Londres

|

Divulgação

20180619 Rovi Interiors 212 1

O conceito do restaurante Rovi, comandado pelo chef Neil Campbel, é cozimento na brasa e muito exercício de fermentação


Por Marta Barbosa Stephens

Há muito o que desbravar em Londres, principalmente se a ideia é combinar um passeio com uma boa refeição. A seguir, três endereços que valem a visita: um pub, um restaurante de chef estrelado e uma casa informal, para comer sanduíches se lambuzado de alegria.


Pub de estimação

Se precisar de um motivo para sair da área central de Londres, anote o nome deste pub: The Mayflower. O primeiro destaque é a localização. Ele fica em Rotherhithe Village, um distrito residencial no sudeste londrino que é uma península na margem sul do Tâmisa. Um bairro com muitos estúdios, onde fica a Rotherhithe Picture Research Library e onde a gente do cinema circula.

Os diferentes ambientes do The Mayflower resumem as características do bairro. O salão interno é cinematográfico, decorado com coleção de canecas de chá, assentos de madeira e velas na mesa. Pequeno e aconchegante, com poucas opções de mesas com assentos confortáveis. O primeiro andar é um restaurante clássico. Já a parte externa do pub é uma varanda de madeira e coberta que repousa sobre o Tâmisa. Dá para ouvir as águas do rio, com vista para Wapping e Isle of Dogs.

Se a comida fosse ruim, valeria só para tomar um pint com essa vista. Mas da cozinha saem pratos ótimos, receitas típicas de pub bem executadas, elaboradas com os melhores ingredientes frescos da vizinhança. A terrine de frango servida com molho de maçã e pão e as vieiras com black pudding, pancetta e purê de ervilha são duas das entradas mais saborosas. Aqui é o lugar para provar um bom fish and chips, servido com um molho tártaro de respeito. Para terminar, a torta clássica de limão com base de chocolate servida com framboesa fresca e coulis.

The Mayflower Rotherhithe Village

117 Rotherhithe Street, SE16 4NF

mayflowerpub.co.uk


Nasceu para ser vegie

Não se pode falar sobre comida do Oriente Médio em Londres sem que o nome de Yotam Ottolenghi seja mencionado. Ele escreve livros, aparece na televisão, estampa seu sobrenome israelense/inglês em vários produtos de delicatéssen. São seis os endereços de Ottolenghi em Londres, entre restaurantes com 50 lugares (no bairro de Islington) a delis com apenas uma mesa comunitária aos fundos, sem reserva (em Belgravia). Parece mesmo que tudo que ele faz é gostoso.

O projeto novo do business man da cozinha é o restaurante Rovi, comandado pelo chef Neil Campbell. O conceito aqui é cozimento na brasa e muito exercício de fermentação. Era para ser uma casa de ênfase vegetariana, mas são os pratos com proteína animal os inesquecíveis.

A começar pelo beef carpaccio com amoras, beterraba e pedaços do queijo fresco esconcês crowdie. Aos mais fortes, há uma versão de Jerusalém mixed grill, servido com cebola e picles. Leva peito, fígado e coração de frango, temperados com baharat e açafrão. As porções são pequenas, então complete com o espeto de carne com pimentão verde fermentado. E para não dizer que não falei dos vegetais, o milho frito em submersão com molho de damasco é de lamber os dedos, literalmente já que se come com as mãos. Virou a marca da casa.

O lugar é enorme – 85 lugares, e tem um bar ótimo. O cardápio de coquetéis é outro forte. Misturas como rum, espirulina, gengibre, pepino e cítricos, muito apropriadamente chamada de “five a day”. Na saída, dá para fazer umas comprinhas da deli/café. Um azeite palestino, um set com três geleias Ottolenghi (framboesa e cereja; ruibarbo e groselha; e limão com baunilha) ou só uma fatia do melhor carrot cake da redondeza, para mais tarde.

Rovi

59 Wells St, W1A 3AE

ottolenghi.co.uk/rovi

Sanduíche conceito

Max’s Sandwich Shop é o lugar para quem gosta de comida informal e não se incomoda em fazer sujeira. Fica ao norte de Londres e vende os sanduíches inventados por Max Halley, um personagem da cena londrina, caçador de boas histórias e defensor do conceito de uma refeição completa literalmente dentro do pão – uma focaccia simples e saborosa, feita na casa. Ele não usa fermentação natural porque acha que a massa fica pesada demais para suas criações.

Com canal no YouTube, livro lançado recentemente e disposição para viajar o mundo em busca de inspiração, Max quer que a cada mordida você consiga provar todos os elementos do prato. Isso significa que suas invenções dispensam acompanhamentos. Até as fritas são parte do recheio, como no caso do clássico ham, egg n chip. Os brasileiros vão adorar essa criação que leva a nossa amada batata palha.

Os lanches são servidos sobre papel manteiga, sem essa de talheres. Max gosta mesmo é de ver a clientela se lambuzar. Há sempre quatro opções de sanduíches quentes, sendo uma vegetariana (preço médio de 8,5 libras), que ele está sempre mudando, de acordo com suas pesquisas. Vale a pena assistir alguns dos seus vídeos na internet, onde ele mostra o percurso até suas receitas.

Colecionador de prêmios (melhor comida barata, por quase todos os guias londrinos), Max é, além de tudo, uma figura cheia de manias engraçadas, como a de usar sempre uma camiseta polo preta, há mais de dez anos. Diz que tem mais de 40 iguaizinhas no armário. Encontrá-lo no pequeno salão e bater um papo sobre comida com ele completa o programa.

Max’s Sandwich Shop

19 Crouch Hill, N4 4AP


maxssandwichshop.com