9 °C
Londres

Novos detectores de alta tecnologia para saber quem carrega faca

|

Valdemars Magone/Unsplash


Por Ulysses Maldonado

Os detectores de alta tecnologia, que permitirão localizar armas brancas em lugares lotados, devem ser desenvolvidos com dinheiro anunciado pelo governo. Os equipamentos usarão sensores de radar, eletromagnéticos ou acústicos, para identificar facas remotamente e alertar à polícia.

O objetivo é que funcionem sem a necessidade de as pessoas percorrerem os arcos do scanner convencional, sendo verificadas sem interferir as atividades diárias.

O projeto de criação é seis empresas, que receberam financiamento de pouco menos de £500 mil para o planejamento. O anúncio foi feito pela primeira-ministra Theresa May e pelo secretário do Home Office, Sajid Javid, em reunião com autoridades policiais, especialistas em saúde, educação e outros setores, jovens e o prefeito de Londres Sadiq Khan, em Downing Street.

A cúpula foi motivada por um aumento da criminalidade violenta que levou a uma série de esfaqueamentos fatais e ferimentos graves em Londres e em outros lugares na Grã-Bretanha.

Discutiu-se, na ocasião, =um relaxamento das regras que regem os "seção 60", de forma a permitir revistas aleatórias por um período limitado, em áreas com altos índices de violência, e um novo dever de "saúde pública", com participação de professores, profissionais de saúde e outros funcionários públicos para alertar crianças que correm o risco de serem atraídas para a criminalidade.

O objetivo dessa mudança, que ecoa os métodos usados para identificar possíveis extremistas, é permitir uma intervenção precoce que desvie esses jovens da ofensa de lâminas antes de cometer crimes ou se tornarem vítimas.

Mas, para garantir que aqueles que continuarem a portar facas possam ser detectados com mais facilidade, os ministros também pediram ao laboratório de ciência e tecnologia de defesa do governo que encontre empresas e acadêmicos para desenvolver novos scanners de alta tecnologia.

Seis, incluindo a empresa de transporte e industrial THALES, e uma equipe da Universidade de Loughborough, agora serão contratados para desenvolver os planos iniciais para o verão, com o objetivo de desenvolvimento adicional que ocorrerá depois disso.

Ao anunciar a nova tecnologia, o ministro do Home Office, Victoria Atkins, disse que os ministros estavam determinados a evitar mais "assassinatos sem sentido", e acrescentou, "a nova tecnologia deve desempenhar um papel nisso, juntamente com uma intervenção eficaz cedo e uma forte aplicação da lei.

Enquanto isso, o novo dever de "saúde pública" para informar os jovens em risco de crimes com facas tem o objetivo de tornar legal para os professores, funcionários do NHS e outros alertar quando as crianças mostrarem sinais preocupantes.


Isso inclui ausência da escola ou de casa durante períodos significativos ou registro em departamentos de acidentes e emergências com ferimentos de lâminas. Os ministros dizem que uma abordagem semelhante funcionou bem na Escócia, contribuindo para uma redução do crime com facas e também no desvio de um número significativo de pessoas do extremismo.