- °C
Comunidade

Canal Londres, dedicado a revelar brasileiros de sucesso, completa 10 anos

|


Da Redação

O Canal Londres, que completa dez anos no ar esse mês, tem um dos mais importantes arquivos sobre a vida do brasileiro no exterior. Foi idealizado pelo publicitário brasileiro Silvino Ferreira Jr e sua mulher, a editora de vídeo inglesa Susan Ferreira da Silva. Juntos, com uma câmara nas mãos, eles apresentam histórias de brasileiros no Reino Unido. Escritores, músicos, líderes sociais, médicos, são muitas as profissões e as trajetórias até aqui. A seguir, um relato feito por Silvino, com exclusividade para Notícias em Português, sobre essa década de Canal Londres.

Nasceu para ser um documentário, e virou canal online


“Eu sou apaixonado por Londres desde a primeira vez que estive aqui, em 1995. Era dezembro, fazia frio, vi neve pela primeira vez, mas nem isso assustou o nordestino. Em 1998, eu decidi vir porque precisava melhorar o inglês de CCAA e passei um ano estudando. Neste período, fiquei muito amigo de uma professora da escola, Anne-Marie Glasheen, quando descobrimos o interesse comum por poesia. Ela me apresentou a vários poetas ingleses que eu não conhecia. Fui morar em Portugal e vinha a Londres sempre que podia. Voltei para o Brasil no início de 2001, mas a saudade me trouxe de volta em 2006, para uma curta temporada. Durante um jantar na casa de Anne-Marie conheci Susan, com quem me casei no ano seguinte. A ideia inicial era fazer um documentário sobre os brasileiros em Londres. Muitos brasileiros estavam deixando o país e isso era um fenômeno recente. A gente queria saber como eles se adaptavam e interagiam com uma nova cultura. Susan, que estudou cinema, já trabalhava com vídeos para Internet e veio com a ideia de um canal nosso, produzindo minidocumentários. Isso era outubro de 2008 e, no decorrer da conversa, resolvemos expandir para a Europa, visando o Mercado de Turismo. Como publicitário fiquei com a missão de dar o nome: Canal Londres. Depois do lançamento, fomos criando páginas e séries. Eu sei que estamos completando 1000 vídeos porque atualizamos toda segunda e toda quinta, religiosamente, com exceção do período natalino. Não sei quantas entrevistas, porque temos séries com apresentadores. No início, eu e a Susan corríamos atrás das pautas, mas à medida em que o tempo foi passando, espontaneamente, as pessoas passaram a sugerir. Sempre estamos adiantados, para não falhar nas atualizações. Se faltar, a Susan pega a câmera, eu viro apresentador e vamos para rua gravar. Eu nunca esqueci o dia em que entrevistei Elenira Mendes, a filha de Chico Mendes. Fiquei muito emocionado quando ela contou que tinha quatro anos quando viu o pai ser assassinado. Desde o início, decidimos que não seria um canal de celebridades. Nunca corremos atrás de nomes famosos. Também não fechamos as portas. Quero sempre que seja um canal que reflita o que é o Brasil. Gostaria de entrevistar alguém de um estado brasileiro que ainda não esteja representado. O nosso maior orgulho é ter construído um arquivo inédito sobre o brasileiro no exterior.”