10 °C
Países Lusófonos

Portugal renova cooperação para preservar a ilha de Moçambique

|

Foto: Wikipedia

800px Forte de São Sebastião   Igreja

Fortaleza de São Sebastião, na ilha de Moçambique: um dos monumentos históricos preservados com dinheiro português


Da Redação - A ilha de Moçambique, na província de Nampula, continuará a obter apoio do governo de Portugal para projetos de preservação do patrimônio. Na segunda-feira (11/03), a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação portuguesa, Teresa Ribeiro, assinou o acordo que garante a terceira fase da colaboração, partindo da formação para a reabilitação do património, em um processo que tem sido conduzido pelo Instituto Camões em Moçambique.


Na segunda fase do programa, no período 2015-2018, a cooperação portuguesa na Ilha de Moçambique incluiu um orçamento de um milhão de euros. “As duas fases anteriores foram concluídas de modo positivo e nós entendemos que o projeto deve continuar”, disse Teresa Ribeiro, momentos após a assinatura do documento em Maputo.


Para Teresa, o objetivo da cooperação deve continuar a ser a formação do capital humano. “Moçambique tem muitas riquezas, mas o capital humano é o ponto mais promissor”, afirmou.


A vice-ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Maria Lucas, destacou as relações históricas dos dois países, considerando o turismo, energia e a formação como as áreas prioritárias.


“Portugal tem uma experiência importante que alia o turismo ao património. Queremos identificar formas de aprender com esta experiência”, disse.


Portugal tem sido um dos parceiros das autoridades locais com intervenções no âmbito da preservação e reabilitação do património histórico e cultural, gestão e ordenamento territorial e urbanístico, formação profissional e ensino pré-escolar e sua ligação ao ensino primário na ilha de Moçambique.


Ocupando uma área de 245 quilómetros quadrados, a ilha de Moçambique foi a primeira capital de Moçambique, onde estão localizados diversos monumentos históricos, como a Fortaleza de São Sebastião.


Em 1991, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) considerou a ilha de Moçambique Património Mundial da Humanidade.