10 °C
Países Lusófonos

Angola recebe 22 milhões de euros da União Europeia

|

Foto: Governo de Angola

0,100bef9b 113d 404b 8e6b c666ed2a5285  r  NjQweDM0NQ==

O ministro da Economia de Angola, Pedro Luís da Fonseca, e a diretora interina para África Central e Austral da UE, Francisca Di Mauro, assinam acordo, em Luanda


Da Redação - A histórica dívida de colonizadores à população das ex colônias está sendo em parte saldada com a assinatura de três acordos que representarão uma doação de 22 milhões de euros da União Europeia para Angola. Na segunda-feira (11/03), os documentos foram assinados em Luanda, durante a IV reunião ministerial denominada Caminho Conjunto Angola-União Europeia, pelo ministro da Economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca, e pela diretora interina para África Central e Austral da UE, Francisca Di Mauro.


O dinheiro será aplicado em programas do governo relacionados a educação e finanças públicas. Os recursos estão no planejamento do 11.º Fundo Europeu de Desenvolvimento.


O programa de apoio ao ensino superior receberá investimentos de 13 milhões de euros, ao longo de cinco anos. O objetivo aqui é que o dinheiro extra seja usado em inovação e qualificação profissional, a fim de aumentar a empregabilidade da população mais jovem do país, além de operar na diversificação económica de Angola.


Outros cinco milhões de euros serão encaminhados, ao longo de três anos, pelo Fundo Monetário Internacional e pelo Gabinete das Nações Unidas para Drogas e Criminalidade para programas de transparência orçamental, despesa pública e criação de um sistema eficaz para combater a corrupção, principalmente na esfera governamental.


O terceiro acordo refere-se ao Programa de Facilitação para o Diálogo União Europeia-Angola, que receberá quatro milhões de euros. Um convénio foi firmado para acompanhar o acordo de parceria, prevendo efectuar estudos em áreas como segurança, crescimento económico e integração regional.


A directora interina da União Europeia para a África Central e Austral, Francisca Di Mauro, destacou o acordo sobre o ensino superior que vai apoiar a especialização em pós-graduação nos sectores chaves da economia.