17 °C
Comunidade

Nuno Queimado: o único português no elenco do musical Hamilton, em West End

|

 

Em Londres há sete anos, Nuno já participou de outros espetáculos em Londres, como “Daqui à Eternidade” e “Mulheres à beira de um ataque de nervos”


Da Redação - Há um português no elenco do aclamado musical Hamilton, em cartaz desde 2017 no Victoria Palace Theatre, em Londres. Nuno Queimado, português de Lisboa, juntou-se ao grupo ano passado, e aprende quatro papeis simultaneamente, um dos quais o de Hamilton, personagem central da trama. Outro papel que Nuno estuda é o de Lafayette/Jefferson, também um dos principais. Na entrevista com ele, divulgada no site oficial do espetáculo, Nuno repete em inglês indefectível: “Já referi que sou português? Estou tão orgulhoso de haver um português no Hamilton”.


Os ensaios são quase todos os dias durante a tarde. “Acabamos por trabalhar muitas horas e seis dias por semana, mas com uma oportunidade dessas, a mim não me apanharão a queixar-me”, diz Nuno. “É uma oportunidade incrível trabalhar em um musical desta qualidade e que celebra um imigrante ambicioso - é fácil rever-me nesta narrativa.”


O ator português de 31 anos já participou de outros musicais de West End, a exemplo de “Daqui à Eternidade” e “Mulheres à beira de um ataque de nervos”. Não é fácil conseguir uma vaga. As audições são concorridas, e os competidores têm altíssimo nível. Para entrar em Hamilton, Nuno fez audições entre janeiro e outubro. Concorreu com centenas, talvez mais de mil atores.


Premiado em Nova York e em Londres


Hamilton é um dos mais premiados musicais em cartaz no momento. Estreou primeiro em Nova York, em 2015. Aqui é vencedor de 11 Tony Awards e sete Olivier Awards, incluindo Melhor Musical; o 2016 Pulitzer Prize for Drama, e 2016 Grammy Award por Álbum de Musical. Um daqueles espetáculos da Broadway que de tão famosos viram uma sensação cultural.


No palco, uma mistura de hip-hop, jazz, blues e rap para contar a história da América. Música e letras são de Lin-Manuel Miranda, direção de Thomas Kail e coreografia de Andy Blankenbuehler.