9 °C
Portugal

​Oposição apresenta plano para tirar portugueses da Venezuela

|

(LONDRES) Da Redação - O partido de oposição CDS-PP apresentou no último dia 30 um plano para resgatar os portugueses e lusodescendentes que vivem na Venezuela e estão sendo vítimas da profunda crise econômica atravessada pelo país.


Os centristas, que planejam discutir o projeto na Assembleia da República, propõem a criação de uma “ponte aérea, garantindo sem custos o regresso dos portugueses ou lusodescendentes que queiram vir para Portugal”.


O CDS exige ainda que o governo ofereça aos que retornarem da Venezuela o mesmo desconto de 50% no IRS proposto pelo primeiro-ministro António Costa para incentivar a repatriação dos emigrantes que deixaram o país durante o período da crise.


Outro ponto da proposta do CDS-PP é a agilização dos processos de concessão da nacionalidade portuguesa aos lusodescendentes e a concessão imediata de autorização de residência e trabalho para todos aqueles que queiram trabalhar em Portugal e cumpram os requisitos legais aplicáveis.


Depois do Brasil, a Venezuela reúne a segunda maior comunidade de emigrantes portugueses na América Latina. Estimativas apontam que cerca de 10.000 portugueses e lusodescendentes deixaram o país nos últimos dois anos. Mais de 500.000, no entanto, continuam a residir na Venezuela.


PLANO DE CONTINGÊNCIA


No último dia 31, o Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, afirmou que o governo já possui um plano de contingência que poderia ser utilizado para os emigrantes portugueses vivendo na Venezuela.


Em entrevista à RTP3, Carneiro disse que o governo tem “planos de contingência para todos os países onde temos comunidades portuguesas, muito particularmente para os países que vivem situações de maior emergência social e de maior precariedade política e institucional”.


Segundo ele, o plano contempla “medidas que são do domínio público e medidas que exigem uma reserva de Estado dada a delicadeza de circunstâncias por que passam os portugueses”.