16 °C
Países Lusófonos

​ONU pede transparência em eleições de outubro em São Tomé e Príncipe

|

(LONDRES) Da Redação - O representante especial do secretário-geral da ONU para a África Central, François Lounceny Fall, fez um apelo no último dia 17 às forças políticas de São Tomé e Príncipe para que as eleições marcadas para o próximo dia 7 de outubro ocorram em um ambiente de “paz, estabilidade, transparência e credibilidade".


Durante visita oficial à capital do país, o diplomata das Nações Unidas foi recebido pelo presidente Evaristo Carvalho e pelo primeiro-ministro Patrice Trovoada.


Em declarações à imprensa, Fall garantiu que a ONU “está determinada a dar todo o apoio necessário” ao processo eleitoral, incluindo o envio de observadores internacionais para garantir a transparência do pleito.


Cerca de 97 mil eleitores serão chamados às urnas no próximo dia 7 de outubro no país para escolher um novo Parlamento e assembleias distritais e regionais.


TENTATIVA DE GOLPE


A visita de Fall acontece cerca de 15 dias após o governo de São Tomé e Príncipe afirmar ter impedido uma "ação terrorista" que visava sequestrar os presidentes da República e da Assembleia Nacional e assassinar o primeiro-ministro.


"Nesta operação foram detidos três indivíduos de nacionalidade espanhola e dois cidadãos nacionais", disse o governo em um comunicado.


Em junho, já havia sido anunciada a detenção do deputado do maior partido da oposição, o Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata, Gaudêncio Costa, ex-ministro da Agricultura, e de Ajax Managem, um sargento da Forças Armadas, por "tentativa de subversão da ordem constitucional".


"Aproveitamos essa oportunidade para transmitir a preocupação das Nações Unidas na sequência das informações de desestabilização contra o governo", disse Fall, reafirmando que a ONU "se opõe a toda a forma de violência, a toda a forma de se chegar ao poder pela força".


COM AGÊNCIA LUSA