14 °C
Brasil

​Últimas pesquisas indicam Lula na frente com folga, seguido por Bolsonaro

|

(RIO DE JANEIRO) Por Denis Kuck - A campanha eleitoral no Brasil começou oficialmente no dia 16 de agosto. A partir da data, os candidatos estão autorizados a pedir votos nas ruas, fazer comícios e demais atos. Desde então, já foram realizados debates televisivos para presidente e governador de 26 estados e Distrito Federal. Além dos dois cargos, os brasileiros votarão em deputados federais, deputados estaduais e senadores.


A primeira pesquisa eleitoral desde o início oficial da campanha, divulgada no dia 20 de agosto, traz o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, do PT, em primeiro, com 37,3% das intenções de voto. Em segundo, aparece o candidato Jair Bolsonaro, do PSL, com 18,8%. A enquete foi feita pelo Instituto MDA a pedido da Confederação Nacional dos Transportes (CNT).



Lula

Lula (Heinrich Aikawa/Instituto Lula)


Segundo a pesquisa CNT/MDA, Marina Silva, da Rede, aparece em um distante terceiro lugar, com apenas 5,6%, seguido por Geraldo Alckmin, do PSDB, com 4,9%, Ciro Gomes, do PDT, com 4,1%, e Álvaro Dias, do Podemos, com 2,9%. Todos os outros candidatos têm menos de 1%. Brancos e nulos somam 14,3%, enquanto os indecisos são 8,8%. Na pesquisa espontânea, Lula aparece com 20,7%, e Bolsonaro com 15,1%.


Na pesquisa do Ibope encomendada pelo “Estado de S. Paulo” e TV Globo, Lula tem 37% dos votos, seguido por Bolsonaro, com 18%. Depois aparecem Marina, com 6%, Ciro e Alckmin, com 5%, e Álvaro Dias, com 3%. Brancos e nulos são 16%, enquanto indecisos somam 6%. O instituto fez um cenário sem Lula, mas sem indicar ao entrevistado que Fernando Haddad seria o candidato apoiado pelo ex-presidente. Nesse caso, Bolsonaro lidera, com 20%, seguido por Marina, com 12%, Ciro, com 9%, Alckmin, com 7%, Haddad, com 4%, e Álvaro Dias, com 3%. Brancos e nulos somam 29%, enquanto os indecisos são 9%.


A dúvida é sobre o destino de Lula, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato e preso em Curitiba. O partido esperou até o último momento para registrar a chapa com ele e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como vice. A candidatura do ex-presidente pode ser impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) devido à Lei de Ficha Limpa. Neste caso, o PT lançará Haddad como candidato e Manuela d’Ávila, do PCdoB, como vice.