11 °C
Reino Unido

Epidemia na Europa leva governo a intensificar cuidado contra sarampo

|

(LONDRES) Da Redação - Mais de 41 mil pessoas foram infectadas pelo sarampo na Europa e 37 morreram nos primeiros seis meses deste ano, segundo dados divulgados no último dia 20 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).


A cidade de Bristol, por exemplo, está pedindo aos pais que antes do início das aulas, em setembro, as crianças sejam vacinadas com a tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba).


Apesar de a OMS confirmar a erradicação do sarampo no Reino Unido desde 2016, ao menos 807 casos foram registrados neste ano na Inglaterra. Segundo o Departamento de Saúde, grande parte das pessoas afetadas no país contraíram a doença durante viagem a regiões da Europa com registros de surto.



Sarampo

(Reprodução)


"A maioria dos casos que estamos vendo são em adolescentes e jovens adultos que não tomaram a tríplice viral quando crianças. Qualquer um que tenha perdido a vacina ou não tiver certeza se recebeu duas doses deve entrar em contato com seu GP”, disse a doutora Mary Ramsay, chefe de imunização do Departamento de Saúde, em declarações à BBC.


Em todo continente europeu existe uma grande preocupação, já que o número de casos até o momento ultrapassa o total registrado ao longo de 12 meses em todos os outros anos desta década. Até então, o maior número havia ocorrido no ano passado, quando foram contabilizadas 23.927 infecções.


“Estamos observando um aumento dramático nas infecções e surtos prolongados”, disse a diretora regional da OMS para a Europa, Zsuzsanna Jakab. “Pedimos a todos os países que implementem imediatamente medidas amplas e adequadas ao contexto para impedir uma maior propagação dessa doença.”


Segundo os dados apresentados, sete países da Europa já registram mais de mil casos de da doença neste ano: França, Geórgia, Grécia, Itália, Rússia, Sérvia e Ucrânia, este último líder absoluto, com mais de 23 mil pessoas afetadas, metade do total de casos no continente. Mortes relacionadas ao sarampo foram reportadas em todos os sete países, com a Sérvia registrando o maior número (14).


Orientação


A orientação para prevenir surtos é manter, todos os anos, uma cobertura vacinal de pelo menos 95% utilizando duas doses da vacina contra a doença, com esforços especiais para identificar crianças, adolescentes e adultos que não foram imunizados no passado.


De acordo com as autoridades de saúde, os adultos nascidos no Reino Unido antes de 1970 provavelmente contraíram sarampo, caxumba ou rubéola quando criança ou receberam vacinas específicas contra sarampo ou rubéola, anteriores à introdução da tríplice viral, em 1988. Como a vacina é duradoura, os adultos não precisam de uma nova dose. Aqueles que não tiverem certeza se já contraíram a doença ou receberam a vacina podem pedir ao médico uma nova dose. Igualmente, isto vale aos imigrantes que vieram de outros países.


Mesmo se você já tomou a vacina antes, tomar uma dose extra não causará nenhum dano. Adultos não imunizados podem receber a tríplice viral no NHS.


Quanto às crianças, a vacina é administrada como uma injeção única a bebês como parte de seu esquema de vacinação de rotina. Isso geralmente acontece antes que se complete os 12 primeiros meses de vida.

Para outras informações, consulte o seu GP.