16 °C
Cultura

​Embaixada do Brasil faz sessão com documentário sobre rodas de choro

|

(LONDRES) Da Redação - A Embaixada do Brasil em Londres realiza no próximo dia 29 de agosto (quarta-feira) uma sessão do documentário “Nas Rodas de Choro” (2009), de Milena Sá. A projeção será acompanhada de um bate-papo com a diretora e uma apresentação musical do gênero que consagrou nomes como Pixinguinha, Radamés Gnattali e Altamiro Carrilho.


Por meio de depoimentos e trechos de apresentações, o filme retrata a roda de choro como um espaço informal de aprendizado lúdico e espontâneo, onde músicos de todas as idades e origens se encontram para trocar experiência. A obra também ressalta a importância desse tipo de encontro para a sobrevivência do gênero no Brasil e o surgimento de novos artistas.



Choro


Entre os entrevistados estão nomes de peso como os dos bandolinistas Déo Rian e Joel Nascimento, a flautista Odette Ernest Dias e os violonistas Carlinhos Leite e César Faria, integrantes do conjunto "Época de Ouro", criado na década de 1960 pelo lendário Jacob do Bandolim.


Vencedor de um prêmio na Mostra Internacional do Filme Etnográfico, o filme também conta um pouco da história do bar Sovaco de Cobra, meca das rodas de choro cariocas na década de 1970.


Além do documentário, Milena, que mora há dois anos em Liverpool, tem divulgado o gênero pela Inglaterra com seu grupo Amilê Trio, formado com outro brasileiro e uma francesa. Recentemente a banda tem se dedicado ao projeto “Beatles em Choro”, no qual toca músicas do quarteto inglês no ritmo brasileiro.



Roda de Choro

Milena Sá (com o pandeiro) e colegas músicos (Divulgação)


“Eu toco choro há 15 anos e tenho esse projeto de levá-lo para o mundo. Então, por onde eu passo, eu sempre faço esse movimento de mostrar o filme, fazer as rodas de choro, juntar os músicos para tocar”, diz a pernambucana, que é percussionista.


No dia 26 ela se apresenta com a banda Stealing Sheep, de Liverpool, no festival Smithfield 150. O show em Londres faz parte da turnê Suffragette Tribute, projeto em homenagem aos 100 anos do voto feminino no Reino Unido. No dia 27 ela toca no carnaval de Notting Hill e no 28 irá dar um workshop de pandeiro no The Grove Music Studios.


“Eu tô nas nuvens, pois finalmente eu estou conseguindo criar esse movimento aqui e as pessoas estão amando, os músicos estão me procurando. A partir da vinda do Amilê para cá, a gente inspirou as pessoas, os músicos mergulharam na ideia de querer participar, de querer montar grupo.”


O esforço de Milena já rendeu a criação de um clube de choro em Liverpool, formado por músicos locais como Martin Smith (trompete), Amy Bowles (violão 7 cordas) e Georgina Aasgaard (violoncelo), e que tem atraído a atenção de músicos de outras partes da Europa, como a violinista Verônica Baird-Smith, de Bordeaux, na França.