23 °C
Brasil

​Número de eleitores brasileiros no exterior cresce 41,37%

|

(DO RIO DE JANEIRO) POR DENIS KUCK - O número de eleitores brasileiros que podem votar no exterior registrou um salto de 41,37%, o que representa um avanço de 354 mil para 500 mil cidadãos. Segundo o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux, o aumento é resultado de um trabalho conjunto da Justiça Eleitoral e do Ministério das Relações Exteriores, que facilitaram o cadastro de eleitores residentes no exterior.


A Justiça Eleitoral desenvolveu um aplicativo online, que substituiu a versão impressa do título, antes transportado por mala diplomática para chegar aos eleitores. O novo sistema facilitou bastante a vida dos brasileiros que moram em outros países e querem exercer a cidadania participando das eleições. As cidades fora do Brasil com o maior número de eleitores são Londres, Boston, Miami, Tóquio e Nagoia. Ao todo, haverá votação em 171 localidades, distribuídas por 110 países.



(Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Votação


147 MILHÕES DE ELEITORES


O TSE divulgou no início do mês dados sobre o perfil do eleitorado que irá às urnas em outubro, para escolher presidente, governadores, senadores e deputados federais e estaduais. De acordo com o órgão, o número de cidadãos registrados para votar aumentou 3,14% nos últimos quatro anos, alcançando 147 milhões (antes o número era de 143 milhões). No Brasil, voto é obrigatório. Os eleitores estão distribuídos por 5.550 municípios.


A maioria do eleitorado, 52,5%, é formada por mulheres, ou 77 milhões. Os homens atingem 47,5%, o que representa 70 milhões. Enquanto o número de eleitores aumentou, a quantidade de jovens de 16 a 17 anos aptos para votar caiu de 1.638.751 para 1.400.671. Nesta idade, o voto é facultativo. A queda, de 14,53%, pode significar uma desilusão em relação à política ou ser um reflexo da diminuição de 7,63% dessa parcela da população de 2014 para 2018. O TSE diz que realizou campanhas sobre a importância do voto para promover a participação dos jovens. A faixa etária entre 16 e 18 anos representa 0,95% do eleitorado.


Por outro lado, a faixa de eleitores acima de 70 anos, quando o voto também é optativo, subiu 11,12%, passando de 10,8 milhões para 12 milhões. A faixa etária com o maior número de votantes é entre 45 e 59 anos, com 36 milhões de pessoas, equivalente a 24,26% do eleitorado. Em seguida, aparece a parcela entre 24 e 34 anos, com 31 milhões de pessoas, ou 21,15% dos eleitores. A maior parte do eleitorado tem ensino fundamental incompleto: 38 milhões, o que corresponde a 25,84%. Outros 33,5 milhões têm ensino médio, ou 22,86%. Enquanto 13,5 milhões têm ensino superior, ou 16,88%.