11 °C
Reino Unido

​Acordo entre médicos e familiares irá bastar para aplicar eutanásia

|

(DE LONDRES) DA REDAÇÃO - Pacientes em estado vegetativo no Reino Unido poderão a partir de agora ser submetidos à eutanásia sem a necessidade de uma permissão prévia da Justiça, bastando para tanto um acordo entre familiares e médicos, determinou a Suprema Corte britânica.


Até então, para pôr fim à vida de um paciente em estado vegetativo permanente era necessária uma aprovação do chamado Tribunal de Proteção. A decisão podia demorar meses, às vezes anos, e acarretava em um custo de cerca de £ 50 mil com despesas processuais.


(Reprodução)

Eutanásia


Segundo a Justiça, um acordo mútuo entre familiares do paciente e a equipe médica é suficiente para garantir “a confiança pública” na decisão de desligar os equipamentos e interromper a alimentação e hidratação por sonda.


A decisão ocorre durante a análise do caso de um homem de cerca de 50 anos que estava em estado vegetativo após sofrer uma parada cardíaca. O paciente, nomeado nos documentos oficiais apenas como "Senhor Y", tinha uma chance “altamente improvável” de retomar a consciência, segundo avaliação de especialistas.


Sua família e os médicos concordaram que seria melhor deixá-lo morrer, retirando a sonda que o alimenta. O NHS (Serviço Nacional de Saúde) pediu então à Suprema Corte que determinasse que não era necessária a aprovação do Tribunal de Proteção para interromper o tratamento, o que acabou sendo acatado.


Segundo dados divulgados pela BBC, estima-se que 1.500 novos casos sejam afetados pela medida a cada ano na Inglaterra e no país de Gales.