19 °C
Reino Unido

A polêmica da saída rápida de Kate Middleton do hospital tem explicação

|


Foto Reprodução

Bebe 2

Nem todas vão sair penteadas e de salto alto, mas a maioria das mães no Reino Unido consegue deixar o hospital com a mesma rápidez que a duquesa





(LONDRES) Por Cristiane Lebelem - Foram cerca de 6 horas de trabalho de parto, depois que Kate Middleton deu entrada no Hospital St. Mary, em Londres, para dar a luz ao terceiro bebê real britânico, no dia 23 de abril.

Do lado de fora do hospital uma multidão esperava para ter notícias do nascimento, e mesmo quem já sabia que o sistema de saúde britânico (NHS) prepara as mamães para um parto normal, e de forma bem objetiva se espantou ao ver que a duquesa saiu em poucas horas para apresentar filho.


Vestida de vermelho, com os cabelos bem penteados, de salto alto e segurando o menino que ainda não tem nome, Kate causou polêmia pela forma quase instantânea de parir e sair bem.


A rapidez com que Kate Middleton, aos 36 anos, deixou o hospital com seu bebê foi notícia no mundo todo, quase mais chamativa que o próprio nascimento do bebê real. Cerca de 7 horas depois de sua entrada no hospital, ela já estava pronta para ir para casa. O mesmo ocorreu quando a princesa Charlotte nasceu, não levou 10 horas e ela já estava do lado de fora com o príncipe William para a apresentar a miúda.


Quando perguntamos a midwife brasileira Luciana Lujan, que atua há muito tempo no Reino Unido, sobre como é possível estar bem em tão poucas horas, ela explica, “ já é o terceiro bebê, ela ganhou experiência no processo”. Aliás, quando o parto é normal e não há problemas de saúde, a recuperação é mais rápida e melhor em casa, ensina Luciana. “Não é muito diferente de home birth. O que garante esse sistema é que todas as mães recebem uma visita no dia seguinte para um check up de saúde”, completa.


A jornalista brasileira Patrícia Blumberg que ganhou recentemente o seu bebê em Londres também comenta a surpresa coletiva com Kate. “Nao deveria espantar o que aconteceu com ela. O sistema de saúde britânico fornece o atendimento necessário para que o parto aconteça de forma normal e, sendo assim, para que a mãe se recupere o mais rápido possível”.

A experiência de Patrícia foi diferente, pois precisou ficar um pouco mais para que Nico pudesse nascer. “Eu optei por um parto normal no Hospital Homerton, zona leste de Londres. Só após 52 horas de procedimento ininterruptos, e contando com o apoio de toda equipe, é que foi me oferecida uma cesariana. Meu desejo foi respeitado até o momento final, quando a decisão poderia prejudicar minha saúde e a do meu filho”, conta. “Não podemos ficar chocados com a rapidez do processo de Kate. Isso deve ser a regra, não a exceção”, pondera.


E se em outros lugares as mamães estão preparadas para deixar o hospital apenas no dia seguinte, e como se tivessem ido para um batalha de guerra, o trabalho das midwifes e das doulas, que preparam as gestantes para um parto tranquilo e humanizado, é justamente o que proporciona a agilidade e este tom de paz e humanização.


Luciana conta que as midwives são o principal vínculo das gestantes com o sistema de saúde. “Aqui a gente visita as mães várias vezes depois do parto. No mínimo 3 visitas até o dia 10, e no máximo 28 dias, quando há algum histórico de saúde e é preciso ter certeza de que a mãe não vai desenvolver depressão pós parto”. Ou seja, o trabalho continua quando saem do hospital. E as dúvidas e inseguranças podem ser tratadas com muita tranquilidade. Elas também recebem apoio para amamentação e cuidados com relação ao bebê e a si. “Se há algum problema, elas voltam para o hospital”, ressalva Luciana.

Todo o sistema está preparado para atender as mamães, basta solicitar no GP os detalhes ou acessar o site do www.nhs.gov.uk.


Foto Reprodução


Patricia e nico

 Patrícia e seu bebê Nico




Luciana Midwife

 Luciana Lujan é midwife em Londres




Patricia e kate