2 °C
Comportamento

​Será que estou ficando louco?

|

Foto: Reprodução.

Loucura preview

Como saber o que se passa em sua mente?



(LONDRES) Por Cristina Doca - É muito comum as pessoas imaginarem que possuem absoluto controle sobre as próprias emoções, comportamentos e sentimentos, ou seja, que detêm o total controle. Porém isso não é uma verdade absoluta.


Muitas vezes deparamos-nos com uma situação completamente estressante com o chefe, o marido/a esposa, o filho, um colega de trabalho, e num momento de raiva e explosão falamos ou imaginamos coisas que a princípio seriam impensáveis.


Às vezes tomamos determinada resolução e agimos de uma maneira, em seguida ou mais tarde, arrependemo-nos daquilo, porque aquela decisão não foi a escolha que faríamos mais calmos e centrados, e aí vem o arrependimento. Enfim, existem inúmeras situações que nos colocam em xeque em relação a nossa própria sanidade mental.


Quando nos deparamos com um problema ou uma crise, uma grande confusão mental pode assolar nossos pensamentos, sentimentos e emoções. Às vezes conversar com um amigo pode ajudar a aliviar a angústia e ansiedade momentânea, mas talvez não seja o suficiente para esclarecer uma situação, resolver o problema, e com certeza outras crises virão.


Em momento como o que foi mencionado, o melhor a fazer é procurar um psicólogo/psicoterapeuta para ajudar a enfrentar a crise. Algumas pessoas acreditam que procurar um profissional de saúde mental ou psicoterapeuta seja algo apenas para indivíduos loucos, muito ansiosos, descontrolados, deprimidos, ou alguém que tem problemas mais profundos com uso de medicação psiquiátrica.


Infelizmente ainda existe muita desinformação e muito preconceito em relação à psicoterapia e às pessoas que fazem uso dela. Quando me perguntam qual é a minha profissão, e digo que sou psicóloga, às vezes ouço: “Nossa, então tenho que tomar cuidado, você pode ler meus pensamentos?”


Um psicólogo é uma pessoa como qualquer outra, que estudou para compreender a psique humana, por isso, e pelo treinamento que tem ao longo da carreira, algumas vezes é uma pessoa um pouco mais sensível às necessidades e ao sofrimento humano.


Em primeiro lugar gostaria de esclarecer as diferenças entre as diversas denominações existentes como psicólogo, psicoterapeuta, psicanalista, psiquiatra, terapeuta, porque muitas pessoas desconhecem ou fazem confusão com os termos.


Psicólogo – É a denominação genérica para o profissional que estudou Psicologia. No Brasil, esses estudos duram cinco anos. Ao final, o indivíduo estará habilitado a trabalhar em vários setores da sociedade como hospitais, clínicas, escolas, empresas, na pesquisa científica, no fórum com psicologia forense, nos esportes, e aplicar vários tipos de testes de personalidade, e outros. Enfim existem vários tipos de atuação. Aqui na Inglaterra isso é um pouco diferente.


Psicoterapeuta – É um psicólogo que ao terminar a faculdade fez especialização em alguma abordagem específica e trabalha segundo conceitos dessa abordagem com os clientes. Existem várias, tais como abordagem centrada na pessoa, psicanalítica, juguiana, cognitiva comportamental, transpessoal, psicodrama.


Psicanalista – Estudou especificamente a psicanálise e sua atuação se constitui nesse repertório teórico. Ele pode ter estudado Psicologia ou não. Conheci alguns profissionais com formações diversas, tais como filósofos, professores, médicos, administradores e até engenheiros.


Psiquiatra – Obrigatoriamente é um médico. Portanto é o sujeito habilitado a receitar medicamentos psiquiátricos. Também pode atender como psicoterapeuta, desde que tenha feito especialização para isso.

Terapeuta – não estudou Psicologia, mas geralmente utiliza várias técnicas dessa ciência, tais como recursos do psicodrama, técnicas corporais, entre outras, em suas atuações.


Psicoterapia é um recurso que pode ser acessado por qualquer pessoa, em qualquer idade, de qualquer nível social ou cultural.


Foto: Reprodução

Minha cabeca e um campo de batalhas eu estou ficando louco a 14112017171911 preview

Minha cabeça é um campo de batalha


O espaço terapêutico é um lugar seguro, de confiança, em que o cliente pode se sentir livre para falar e refletir sobre sentimentos, pensamentos e emoções mais profundas sem ser julgado ou criticado.


O que determina a busca por um psicólogo/psicoterapeuta é a necessidade de compreender uma questão ou um conflito que esteja atrapalhando o desenvolvimento pessoal e interferindo no dia a dia da pessoa.


Outro motivo para procurar a psicoterapia são aqueles momentos em que sentimos que a vida está estagnada, e algo nos impede de sentir felicidade e realização, mas não conseguimos identificar exatamente o que estar nos atrapalhando.


A psicoterapia também pode ser útil para aqueles que estão vivendo uma grande transformação na vida pessoal ou profissional. Uma mudança de país, de emprego, um divórcio, uma doença ou simplesmente para se entender melhor.


Procurar ajuda profissional será sempre a melhor opção, não importa a natureza do problema, pois o profissional é treinado para isso e com certeza utilizará técnicas necessárias para ajudar quem o procura.


O psicoterapeuta ajudará a analisar e compreender sentimentos, comportamentos, experiências, emoções, memórias que possam estar afetando a maneira como vive hoje.


Com a evolução do processo psicoterapêutico, as pessoas conquistam maior consciência de si mesmas, liberdade de pensamento, elevação da autoestima, maior confiança em si mesmo, consequentemente, as escolhas em seus relacionamentos interpessoais e na vida são mais apropriados.


Fazer psicoterapia contribui para alcançar maior grau de autoconhecimento, fortalecendo aspectos individuais, desenvolvendo potencialidades que muitas vezes a própria pessoa desconhecia, e também contribui para reconhecer e lidar de maneira mais adequada com os próprios limites e fraquezas inerentes no ser humano.


A periodicidade das sessões pode variar. Geralmente ocorre uma vez por semana, mas, dependendo do problema que o cliente esteja vivendo, é possível que o psicólogo sugira atendimento mais de uma vez por semana. Isso não é regra e somente o profissional em questão poderá avaliar a necessidade.


Geralmente as sessões duram em média 50 minutos, mas existem algumas abordagens que esse tempo pode ser um pouco diferente, e nesse caso, o profissional pode explicar melhor tal alteração.


O valor da sessão pode variar de acordo com o profissional, mas é sempre um acordo entre cliente e psicoterapeuta. Alguns preferem cobrar por sessão em dinheiro, outros aceitam pagamento a cada 2 ou 4 sessões.


Enfim, o importante é escolher um bom profissional e sentir-se à vontade para expressar-se sinceramente. Já ouvi relatos de clientes que disseram, “Fiz psicoterapia há um tempo, mas não era muito sincero, porque não sentia confiança o suficiente no profissional”. Esse tipo de atitude só traz prejuízo ao próprio cliente.


Portanto ao buscar um profissional tenha certeza de que escolheu a pessoa certa, não hesite em consultar mais de um durante o processo de escolha, se for o caso, e acima de tudo tenha certeza de que houve empatia e confiança entre ambos para que um bom trabalho se desenvolva e você possa viver mais realizado e feliz.


Foto: Arquivo Pessoal

Cris doca preview

Dra Cristina Doca - cristinadoca@hotmail.com